7 jours d'essai offerts
Cet ouvrage et des milliers d'autres sont disponibles en abonnement pour 8,99€/mois

NOTA BREVE
EFEITO DA IDADE DE CORTE SOBRE CARACTERÍSTICAS DE
SENNA OBTUSIFOLIA
EFFECT OF CUTTING AGE ON CHARACTERISTICS OF SENNA OBTUSIFOLIA
1 2 3 3 4Sousa, H.M.H. , Â.M.V. Batista , E.C. Pimenta Filho , D.S. Silva , S.V.F.Leite e
5J.M.C. Castro
1Doutora em Zootecnia. Rua Arthur Villarim, 120. Ap. 3 58100290. Campina Grande-PB. Brasil.
E-mail: hmhs@uol.com.br
2Professora DZ/UFRPE. Av. Dom Manuel de Medeiros S/N. Dois Irmãos 52171090. Recife-PE. Brasil.
E-mail: abatista@ufrpe.br
3Professores DZ/CCA/UFPB. Campus III. Areia-PB. Brasil. E-mail: edgard@cca.ufpb.br; divan@cca.ufpb.br
4Pesquisador da EMEPA-PB. Estação Experimental de Alagoinha. Alagoinha–PB. Brasil.
E-mail: hmhshot@hotmail.com
5Zootecnista DZ/CCA/UFPB. Campus III. Areia-PB. Brasil. E-mail: jaci@cca.ufpb.br
PALAVRAS CHAVE ADICIONAIS ADDITIONAL KEYWORDS
Forrageira nativa. Feno. Composição química. Native legume. Hay. Chemical composition.
RESUMO
Neste trabalho avaliou-se o efeito da idade alternativa de alimentação para a pecuária na
estação seca.de corte da planta sobre a produção, a
composição química, a digestibilidade in vitro e
algumas características morfológicas do mata-
pasto. A produção de matéria seca foi estimada SUMMARY
em 8,35 t/ha, no último corte (98 dias). Os teores
de matéria seca variaram entre 15,62 e 26,67 This work aimed to determine dry matter
production, chemical composition, in vitrop.100, de proteína bruta entre 17,33 e 6,99 p.100,
de fibra em detergente neutro entre 53,63 e 42,37 digestibility of the dry matter and morphological
p.100 e de fibra em detergente ácido entre 29,32 indicators in different cutting frequencies of
e 40,26 p.100, entre a primeira (42 dias) e a última legume. The dry matter yields estimate in the last
idade de corte (98 dias). Observou-se que, cutting was 8.35 t/ha (98 days). The dry matter
mesmo na idade mais avançada de corte, a content ranged from 15.62 to 26.67 percent,
crude protein from 17.33 to 6.99 percent, neutraldigestibilidade se apresentou alta. A altura da
planta e o número de ramos aumentaram detergent fiber from 53.63 to 42.37 percent and
linearmente com a idade de corte, atingindo, acid detergent fiber from 29.32 to 40.26 percent
respectivamente, 100 cm e 4 ramos por planta no at the first (42 days) and the last (98 days)
último corte. O mata-pasto liso (Senna obtusifolia harvest. At last cutting age in vitro digestibility
L. Irwin & Barneby), uma leguminosa nativa do was high comparable to other tropical legumes.
Plant height and stem number per plant increasenordeste do Brasil, fenado, constitui-se numa
Arch. Zootec. 55 (211): 285-288. 2006.
565NotaEfeitoSousa.p65 285 12/07/2006, 10:47SOUSA, BATISTA, PIMENTA FILHO, SILVA, LEITE E CASTRO
linearly by age cutting. In the last cutting the plants Departamento de Zootecnia da
were 100 cm tall and 4 stem per plant. The mata- Universidade Federal Rural de Pern-
pasto liso (Senna obtusifolia L. Irwin & Barneby) ambuco (UFRPE).
is a local legume from semi-arid of Brazil. The No plantio do mata pasto adotou-se
plant hay could be an alternative during the um espaçamento de 0,25 (entre plan-
forage scarcity in the dry season. tas) x 0,25 m (entre fileiras), em três
parcelas com dimensões de 2,0 x 5,0 m
2(10 m) cada. O plantio foi feito por
INTRODUÇÃO sementes. Para relacionar a idade de
corte com o crescimento das plantas
A pecuária tem grande expressão marcou-se ao acaso 2 fileiras conjun-
econômica e social no Nordeste do
tas de plantas por parcela (14 plantas),
Brasil, incluindo-se entre algumas das
com três repetições. O primeiro corte
poucas atividades com possibilidade
foi efetuado aos 42 dias após o plantio,
de viabilização em sistemas de sequeiro
seguindo semanalmente, até os 98 dias,
na região. É importante considerar que
os cortes foram realizados mediante
em função da inexistência de pastagens
sorteio. As plantas das extremidades
de gramíneas e leguminosas mais indi-
foram descartadas, para eliminar ocadas para produção de feno, faz-se
efeito de bordadura.necessário o estudo da fenação de
As avaliações agronômicas consis-espécies forrageiras adaptadas à
tiram na mensuração da altura dasregião, com alto potencial de produção
plantas (o corte foi efetuado a 6 cm dede matéria seca, mesmo que estas não
altura, em relação ao solo até a últimaapresentem as características tradi-
folha) e número de ramos. Após ocionalmente mencionadas (muita folha,
corte, o material foi seco em estufa etalos finos) (Lima et al., 2002).
armazenado para posteriores análisesO mata-pasto liso é uma planta
químicas, segundo Silva e Queirozinvasora das pastagens, sendo normal-
(2002).mente retirada através do roço ou herbi-
O delineamento experimental utili-cidas, pois é desprezada pelos animais
zado foi de blocos casualizados. Osquando in natura, porém fenada pode
dados foram analizados utilizando-se ose constituir em um alimento alternati-
programa SAS (1996).vo para caprinos e ovinos durante o
período de escassez de forragem, na
região semi-árida.
RESULTADOS E DISCUSSÃOO objetivo deste trabalho foi avaliar
a produção, a composição química, a
A altura das plantas foi afetadadigestibilidade in vitro e as caracterís-
linearmente (p<0,05) pela idade ao cor-ticas morfológicas do mata-pasto em
te, tendo-se obtido altura máxima médiadiferentes idades de corte.
de 1,0 m, com 98 dias (tabela I).
Nascimento e Nascimento (1993)
MATERIAL E MÉTODOS constataram a altura máxima para a
espécie em 1,5 m aos 165 dias, em
O experimento foi conduzido no plena fase reprodutiva, o estudo seguiu
Archivos de zootecnia vol. 55, núm. 211, p. 286.
565NotaEfeitoSousa.p65 286 12/07/2006, 10:47EFEITO DA IDADE DE CORTE SOBRE CARACTERÍSTICAS DE SENNA OBTUSIFOLIA
até os 195 dias, ou seja, houve um último corte (98 dias). Segundo Van
momento em que a altura se estabilizou Soest (1994), as forrageiras geralmente
e a relação deixou de ser linear. Pode- apresentam um aumento na proporção
se, portanto, inferir que, no presente de caules com a idade, o que pode
trabalho, se as mensurações tivessem responder ao comportamento aqui en-
prosseguido, ter-se-ia obtido estabi- contrado.
lização da altura das plantas. A produção de matéria natural
2 O número de ramos aumentou variou de 725,30 a 3122,62 g/m e a
linearmente (p<0,05) com o tempo, produção de matéria seca de 114,58 a
2chegando a 4 ramos por planta no 835,18 g/m entre a primeira e a última
idade de corte, ou seja, as produções
de matéria natural e de matéria seca
(MS) aumentaram linearmente (p<0,05)
Tabela I. Equações de regressão da altura com a idade do corte.
da planta (AP), número de ramos (NR), É importante ressaltar que a
produção de matéria natural (PMN), produção de MS no último corte foi 7
produção de matéria seca (PMS), per- vezes maior que o valor encontrado no
centual de matéria seca (MS), proteína primeiro corte, o que demonstra o gran-
bruta (PB), fibra em detergente neutro de potencial de produção desta espécie.
(FDN), fibra em detergente ácido (FDA) e A produção aos 98 dias foi 8,35 t/
digestibilidade in vitro da MS (DIVMS) de ha. Essa produção é inferior àquela
mata pasto liso, em diferentes idades de obtida em condições naturais por
corte. (Regression equations of plant's height Nascimento e Nascimento (1993), de
(PH), number of stems (NS), fresh matter yields 13,6 t de MS/ha, aos 165 dias, com
(FMY), dry matter yields (DMY), dry matter (DM), plantas medindo 1,5 m de altura.
crude protein (CP), neutral detergent fiber (NDF), Os teores de MS aumentaram
acid detergent fiber (ADF) and in vitro digestibility linearmente (p<0,05) com a idade de
of DM (DIVDM) concentration of mata pasto liso corte (15,60 a 26,70 p.100). Barbosa
in function of cutting age). (1997), que não identificou a idade ou
estado fenológico, aponta o valor de
Equações CV R2
15,20 p.100 de MS para mata-pasto.
1 Já o teor de proteína bruta (PB)AP -19,56 + 8,86*x 14,55 0,98
diminuiu (p<0,05) com o tempo, emboraNR -1,43 + 0,39*x 75,29 0,96
2 a equação que melhor se ajustou aPMN -1154,66 + 315,02*x 15,73 0,86
evolução da PB tenha sido a do tipoPMS2 -449,28 + 90,87*x 19,93 0,88
3MS 10,32 + 1,15*x 4,57 0,87 quadrática (tabela I). Nascimento et
3 2PB 40,41 - 5,40*x + 0,22*x 9,04 0,90 al. (2000), trabalhando com diferentes
3 2FDN 94,21 - 9,63*x + 0,48*x 6,76 0,60 idades de corte, em condições naturais,
3 2FDA 44,52 - 3,59*x + 0,24*x 5,93 0,85 verificaram redução no teor de PB,
3DIVMS 105,98 - 2,03*x 3,52 0,87 dos 15 aos 195 dias de idade, com
valores variando entre 26,90 a 3,80
*Significativo ao nível de 5 p.100 de probabilidade p.100. Também trabalhando com mata-
pelo teste F.
pasto em condições naturais, Barbosa1 2 2; 3cm; g/m p.100.
(1997) encontrou 24,70 p.100 de PB,
Archivos de zootecnia vol. 55, núm. 211, p. 287.
565NotaEfeitoSousa.p65 287 12/07/2006, 10:47SOUSA, BATISTA, PIMENTA FILHO, SILVA, LEITE E CASTRO
porém, não relata qual a idade ou esta- (último corte) as plantas não haviam
do fenológico da planta em que foi feito iniciado a floração, e o caule encon-
o corte. trava-se ainda relativamente tenro,
A variação da fibra em detergente sugerindo que o mesmo encontrava-se
neutro (FDN) foi de 53,63 a 42,37 pouco lignificado.
p.100 e da fibra em detergente ácido As equações de regressão encon-
(FDA) de 29,32 a 40,26 p.100, entre 42 tradas para as características estu-
e 98 dias. dadas encontram-se na tabela I.
Os valores encontrados para
digestibilidade da MS apresentaram
variação de 94,99 a 76,28 p.100 entre CONCLUSÕES
42 e 98 dias. Esses valores são mais
altos do que a digestibilidade, determi- Nas condições edafoclimáticas em
nada por Barbosa (1997), de 59,81 que foi conduzido o experimento per-
p.100. mite-se concluir que o mata-pasto liso
A digestibilidade da MS diminuiu possui características quanto à
linearmente (p<0,05) em função do produção de matéria seca, composição
aumento da idade da planta ao corte. química e digestibilidade, que lhe
Mesmo na idade mais avançada, a asseguram a indicação para a produção
digestibilidade pode ser considerada de feno como alternativa de alimen-
alta. Deve-se ressaltar que aos 98 dias tação animal na região semi-árida.
BIBLIOGRAFIA
Barbosa, H.P. 1997. Tabela de composição de 130-131.
Nascimento, M.P.S.C.B. e H.T.S. Nascimento.alimentos do Estado da Paraíba “Setor
Agropecuário”. João Pessoa: SEPLAN- 1993. Aspectos fenológicos do mata-pasto
FAPEP-UFPB. 165 p. (Senna obtusifolia (L) H.S. Irwin & Bar-
neby). In: Reunião Nordestina de Botânica,Lima, G.F.C., E.M. Aguiar, F.C. Maciel, M.R.
Medeiros e M.R. Macedo. 2002. Produção de 17, 1993, Teresina. Anais... Teresina: UFPI,
fenos alternativos para a agricultura familiar p. 53.
SAS 1996. User's Guide: Statistics. Versionno semi-árido nordestino. In: Simpósio
Paraibano De Zootecnia, 3, 2002, Areia. 6.12. SAS Inst., Inc., Cary, NC.
Anais... Areia: UFPB, p. 11. Silva, D.J. e A.C. Queiroz. 2002. Análise de
oalimentos: métodos químicos e biológicos. 3Nascimento, H.T.S., M.P.S.C.B. Nascimento e
V.Q. Ribeiro. 2000. Valor nutritivo do mata- ed. UFV, Imprensa Universitária. Viçosa, MG.
pasto (Senna obtusifolia (L) H.S. Irwin & 235 p.
Van Soest, P.J. 1994. Nutrional ecology of theBarneby) em diferentes idades. In: Simpósio
oNordestino de Alimentação de Ruminantes, ruminant. 2 Ed. Cornell University Press.
2, 2000, Teresina. Anais... Teresina, p. New York. 476 p.
Recibido: 21-7-05. Aceptado: 10-10-05.
Archivos de zootecnia vol. 55, núm. 211, p. 288.
565NotaEfeitoSousa.p65 288 12/07/2006, 10:47