//img.uscri.be/pth/5298134154da83524cc6618ecdb32f037c212711
Cette publication ne fait pas partie de la bibliothèque YouScribe
Elle est disponible uniquement à l'achat (la librairie de YouScribe)
Achetez pour : 9,49 € Lire un extrait

Lecture en ligne (cet ouvrage ne se télécharge pas)

A todas as crianças do mundo

De
112 pages
Inspirando-se nos Evangelhos, Yvonne Trubert propunha o ensinamento de Cristo, a pratica da oraçao e confiava suas reflexoes aos Livres d'IVI, revistas da associaçao de mesmo nome. O volume 14 se dirige aos jovens de seis a quatorze anos ou mais: "Queridas Crianças, vocês foram chamadas. Para aprender o sentido da sua vida e o porque de tudo o que significa a sua presença aqui sobre a Terra...(Ouvrage en portugais.)
Voir plus Voir moins

Yvonne T � ���� �A todas as crianças do mundo
Crônicas de um Convite à Vida
Inspirando-se nos Evangelhos, Yvonne Trubert propunha o ensinamento
de Cristo, a prática da oração e confi ava suas refl exões aos Livres d’IVI,
revistas da associação de mesmo nome. Em 2007 essas entrevistas A todas conhecerão uma nova publicação sob a forma de livros, denominados
As Crônicas de um Convite à Vida. Os oito primeiros volumes agrupam
os temas do ensinamento propriamente dito; os volumes 9, 10 e 11, as as crianças do mundo
narrativas de peregrinações, de missões e de colóquios realizados de
1982 a 2009. O volume 12 trata do funcionamento e das estruturas da
associação. O volume 13 aborda o tema mais específi co do Nascimento
de uma família. No volume 14, Yvonne se dirige aos jovens de seis
a quatorze anos ou mais: “Queridas Crianças, vocês foram chamadas.
Para aprender o sentido da sua vida e o porque de tudo o que signifi ca
a sua presença aqui sobre a Terra... Homens e mulheres em formação,
vocês se preparam para viver algo de grandioso. Contudo, vocês não
querem passar a sua vida na mediocridade; vocês não querem mais
aceitar ver o sofrimento e a injustiça, não é?
Vocês são adolescentes com uma consciência aguçada do seu papel
futuro. Compreendam que no seu nascimento vocês receberam esta
presença divina dentro de vocês. Assim, em todos os lugares onde
forem, serão testemunhas desta presença e testemunharão a respeito
desta presença pela alegria de de viver.
Desde 1976, Yvonne Trubert decide se consagrar aos outros,
proporcionando-lhes escuta e conforto. Em 1983, ajudada por
amigos, ela funda a associação Invitation à la Vie (Convite à
Vida), também denominada IVI. Pelas suas palavras, atos e
escritos, Yvonne Trubert semeou a esperança na França e em
todos os lugares no mundo, esperança que continua a existir além
do seu desaparecimento em 17 de agosto de 2009.
Crônicas de um Convite à VidaA todas as crianças do mundo
Os anjos do Céu tomam conta
de vocês todas, vivam na
alegria da Esperança. Deus VOLUME 14
ouve suas orações e as ama. Eu
abraço todas vocês com muita
força. Com todo o meu amor, 14
Yvonne
ISBN : 978-2-343-04725-6
12,50
A todas as crianças do mundo
Yvonne T � ���� �







A todas as crianças do mundo


Yvonne Trubert









A todas as crianças do mundo



Crônicas de um Convite à Vida


Volume 14









Direção editorial : Albertine Gentou
Desenhos de Benoit Abtey
Tradução de Beatriz Esteves

Fotografia da capa : Albertine Gentou
Fotografia de Yvonne Trubert : coleção da autora

Bibliografia
Invités à Vivre, L’Harmattan, 2003 Paris.
Convidados a viver, Coletivo, L’Harmattan, 2008 Paris

Cassetes de referência
Setembro de 1985, Saída a Emancé
1º de dezembro de 1983 – Yvonne, fale para nós.
Internet
www.yvonnetrubert.fr
www.invitation-a-la-vie.org/

A tous les enfants du monde©L’Harmattan, 2012
A todas as crianças do mundo©L’Harmattan, 2014



© L’Harmattan, 2014
5-7, rue de l’Ecole-Polytechnique, 75005 Paris

http://www.harmattan.fr
diffusion.harmattan@wanadoo.fr
harmattan1@wanadoo.fr

ISBN : 978-2-343-04725-6
EAN : 9782343047256
Prefácio

A todas as crianças do mundo, de ontem, de
hoje e de amanhã, Yvonne fala.
De onde eu venho, quem eu sou, para onde
eu vou, são os mistérios da vida.
Encontrarão aqui respostas doces, simples,
leves e profundas ao mesmo tempo.
Yvonne gostava desses momentos
compartilhados, desses instantes de verdade,
tanto com os pequenos como com os grandes.
Sua voz era suave, risonha e
tranquilizadora, mas também sabia ser firme.
Seu olhar... dourado, quente, profundo, com
um olho que, às vezes, tinha um jeito
brincalhão.
Muito humor.
Gestos ternos, uma carícia leve com o dedo
sobre a face.
Palavras doces: minha querida, meu tesouro,
meu garoto...
Esses gestos, essas palavras que tocam a
criança, que sempre permanecerão dentro de
nós.
5Da mesma maneira, Yvonne sabia
reconhecer e respeitar em cada criança este
homem e esta mulher em transformação.
É por isso que era tão importante para ela
transmitir essa mensagem de vida e de amor a
todas as crianças, quais fossem elas, de
guiálas sobre esse caminho de verdade para a
construção de um mundo novo.
Então, pequenos e grandes, agarrem essas
palavras de vida e de sabedoria, e façam bom
uso das mesmas.
Agora chegou a hora de fazerem silêncio
dentro de vocês, de fazermos silêncio dentro
de nós mesmos.
Sob uma árvore, à sombra de um rochedo, à
beira do fogo... Yvonne está presente.
Escutem-na contar para vocês a história desta
humanidade que cresce cada vez mais, a
história da sua humanidade, da humanidade de
todos nós.

Magali Perrin

6Prefácio do editor

Para apresentar esse livro, o 14º volume das
Crônicas de Yvonne Trubert, consagrado às
crianças de sete a setenta e sete anos, seria
fácil começar pela célebre fórmula, no estilo
“Era uma vez uma mulher maravilhosa de nome
Yvonne...” Sim. Seria possível. Com a diferença
de que não se trata de um conto, mas da
história verdadeira de uma mulher que viveu o
amor, permitindo que cada um e cada uma se
sentisse único.
Mãe de quatro filhos, Fabienne, Philippe,
Jean-Pierre e Pascal, que ela educou enquanto
trabalhava, Yvonne fundou a associação
Invitation à la Vie (Convite à Vida) em 1983,
chamada mais frequentemente de IVI.
Depois de várias dezenas de anos em Paris,
e fora da França, e também no México, no
Brasil, na Colômbia, na Austrália, na
NovaZelândia, no Canadá, nos Estados Unidos, no
Níger, na Rússia, na Espanha, na Itália, na
Grécia, na Inglaterra, na Bélgica, nos Países
Baixos, na Alemanha, em diversos países... esta
7associação reúne milhares de pessoas, dentre
elas crianças, adolescentes e jovens adultos
sob a bandeira da Casa Sant’Anna ou Casa dos
Jovens.
No início desta aventura, Yvonne reunia
esses grupos de jovens uma ou duas vezes por
ano, com seus animadores. Ela lhes falava de
Cristo, de Maria, da oração, das virtudes, dos
direitos e dos deveres das crianças e de vários
outros temas...
Quando a escutavam, quando escutam
Yvonne ainda hoje, graças às gravações que ela
deixou, ao ouvir sua voz, acompanhando suas
palavras, tudo se esclarece.
“Animar crianças, dizia ainda Yvonne, é
fazê-los descobrir Deus através da vida!”
Assim, através do seu prisma, o conto de
fadas se torna uma história de fé onde o
tempo não existe e suas palavras continuam a
nos guiar para a nossa própria liberdade.


Albertine Gentou

8


O HOMEM NA CRIAÇÃO DE DEUS

O Universo foi criado há bilhões de
anos. Muito rapidamente a Terra foi criada
para o homem, eis a razão da nossa
presença sobre esta Terra.
É isso o que Deus quis do homem – de
nós – e do seu futuro sobre este planeta.
O homem está ligado ao infinito, ligado
ao cosmos, a todo este universo que ele vê
e distingue tão pouco.

O homem vê bilhões de estrelas, sabe
que as galáxias existem, conhece o sentido
dos planetas, mas este homem não conhece
Deus e não conhece quem é, nem o que vem
fazer sobre esta Terra.




9

Este homem, unido ao invisível por
mensagens que constantemente lhe são
enviadas, ignora o dom fantástico que tem.
Ele é criador, e Deus lhe deu todos os
poderes para agir nesse sentido. Ele tem
uma alma, uma energia de força que cria o
universo.

Cada um dos seus pensamentos, das
ações do homem, corresponde a uma força
no invisível que dá a possibilidade de cada
um dos planetas se movimentarem e se
deslocarem. E o mesmo acontece conosco.
Nós todos fazemos parte do universo.
Saber quem somos permite que
tenhamos respeito por nós mesmos.
O mundo pararia se o homem não
soubesse que, enquanto criador, prolonga a
vida do universo e do cosmos.

1º de dezembro de 1983
– Yvonne, fale para nós.

10