A serviço da multidao

Publié par

A serviço da multidao é o décimo segundo das entrevistas concedidas por Yvonne Trubert ao Livre d'IVI, revista da associaçao Convite à Vida. Volume 12, ela propõe reflexões sobre o funcionamento desta associaçao, a serviço dos outros, que convida cada um a vive rem uma outra dimensao, que é a da esperança. (Ouvrage en portugais)
Publié le : mardi 1 mars 2016
Lecture(s) : 9
EAN13 : 9782140002601
Nombre de pages : 128
Voir plus Voir moins
Cette publication est uniquement disponible à l'achat
 é o décimo segundo volume das entrevistas concedidas por Yvonne Trubert ao , revista da associação Convite à Vida. Inspirando-se nos Evangelhos e nos preceitos de Cristo, Yvonne confia a base de seu ensinamento nos oito primeiros volumes e, nos três seguintes, comenta a história das peregrinações que ela impulsionou aos quatro cantos do mundo. No volume 12, ela propõe reflexões sobre o funcionamento desta associação, a serviço dos outros, que convida cada um a viver em uma outra dimensão, que é a da esperança. “A partir do instante em que conhecemos a vitória da alma, escreve Yvonne Trubert, nós nos consideramos completamente filhos de Deus e irmãos de Cristo. Vocês se consideram irmãos de Cristo? Não! Entretanto, vocês o são. Como podem ter sido ignorantes por tanto tempo e se retirado com relação a Ele? Ele não se retira. Desde o dia do seu nascimento nesta Terra, Deus jamais se separou de vocês. Mas vocês se separam Dele pelos seus pensamentos, por tudo o que entrava a sua liberdade. Ele lhes fala, vocês não O ouvem; Ele está presente, vocês não O veem. Pois vocês têm medo. Quando temos medo, não sabemos que somos filhos de Deus. Quando o sabemos, não temos mais medo de nada. Cristo diz : “Peça e receberás, bata e te abrirão”.”
Fotografia da capa: Coleção da autora Fotografia de Yvonne Trubert: Prisca Léonelli ISBN : 978-2-343-08557-9 14
Yvonne T�
La Voz del Alma
A serviço da multidão
�
Yvonne T
12
A serviço da multidão
Crônicas de um Convite à Vida
Crónicas de una invitación
Tomo 7
Volume 12
A serviço da multidão
Yvonne Trubert
A serviço da multidão
Crônicas de um Convite à Vida
Volume 12
Direção editorial: Albertine Gentou
Tradução: Beatriz Esteves
Gravadas entre 1984 e 1995 para oLivre d’IVI, revista da associação Convite à Vida, essas crônicas são extraídas de entrevistas realizadas pela Missão Escrever e por quatro jornalistas : Marie Mignon Gardet, Marie d’Hennezel-Whitechurch, Marie-Hélène Rose e Albertine Gentou.
Fotografia da capa: Coleção da autora Fotografia de Yvonne Trubert: Prisca Léonelli
Bibliografia Convidados a Viver, Coletivo, L’Harmattan, 2008, Paris.
Cassetes de referência Conferência em Assas: “O homem em busca de si mesmo” (11/02/1984) Conferência em Assas: “O homem na sua plenitude” (13/11/1984)
© L’Harmattan, 2016 5-7, rue de l’Ecole-Polytechnique, 75005 Paris
http://www.harmattan.fr diffusion.harmattan@wanadoo.fr harmattan1@wanadoo.fr
ISBN : 978-2-343-08557-9 EAN : 9782343085579
PREFÁCIOYvonne nos falava da felicidade e da esperança Ela nos dizia em Lourdes, em maio de 2009: “Vocês são divinos, vocês vieram por amor, no amor e para o amor”. Com ela, o ser humano era a maravilha das maravilhas, e a profissão de médico, a maior das artes. Com ela, ultrapassamos facilmente as fronteiras, para nos encontrar e trocar ideias sobre nossos costumes, nosso conhecimentos, nossas compreensões. Ela soube me fazer tomar o caminho que leva à minha alma, à alegria de poder viver cada instante da minha vida. O corpo humano é som, luz, energia; ele é vibratório. São estas as descobertas da medicina quântica que decorrem da aplicação da física do átomo à biologia e à medicina desde 1993 (Trabalhos de F.A. Popp). Mas desde os anos 1980, Yvonne já nos ensinava isso, por meio da harmonização e da compreensão vibratória do homem que ela nos transmitiu. No interior do corpo humano tudo é paz, harmonia e amor. Não há nada imposto à força, só existe suavidade; as moléculas emitem sons ou flashes luminosos para se estimular e trabalhar juntas, numa dinâmica perfeita que não deixa espaço para o desperdício. Cada uma de nossas células tem um comprimento de onda específico e um papel particular a desempenhar (Mae Wan Ho: The Rainbow & the Worm), como cada um de nós na sociedade em que vive. Não, não é a lei do mais forte, nem a lei da selva que predominam em nosso corpo, mas certamente a lei do amor que vibra no coração da nossa carne. É por isso que nosso corpo, na verdadeira compreensão da matéria da sua carne, é uma fonte inesgotável de sabedoria. Ele provoca admiração diante de tanta beleza. É uma enorme arte! Como dizia Einstein: Todas as religiões, artes
e ciências são ramos de uma mesma árvore.” Béatrice Milbert Clínico geral,  homeopata e especialista em medicina chinesa
5
IVI, hoje e amanhã
Enquanto não nos pusermos ao alcance do outro, não compreenderemos a verdadeira dimensão do amor. O amor está vivo. Ele existe onde você estão com os outros... As palavras são energias, vibrações que colocamos em movimento. A cada vez que recebemos alguém, é preciso pensar na maneira que gostaríamos de ser recebidos, com um sorriso, com gentileza e doçura. A doçura é uma vibração que corresponde à alma. Recebemos um ensinamento, vamos colocá-lo em prática. Estamos com Deus, somos suas testemunhas, seus servidores a cada instante. Hoje, porque existe Convite à Vida? Se temos de nos assemelhar a uma forma de religião, qualquer que ela seja, não temos nenhuma razão para existir. Estamos aqui, com efeito, pois temos uma utilidade, uma responsabilidade, não apenas moral, mas física. Isso consiste em ensinar os homens a viver, a viver melhor com um estado de espírito, com comportamentos diferentes. Temos de nos superar e de fazer esforços para compreender outras coisas, cada vez um pouco mais. A partir daí surge a vitória. Suas angústias, seus medos, suas infâmias desaparecerão, será o começo de suas profundas aspirações.
Volume 1: A energia do amor, Livre d’IVI, nº26. Paris, março 1986.
6
Nota do editor Yvonne Trubert criou a associaçãoInvitation à la Vie(Convite à Vida), com o objetivo de “trabalhar pelo desenvolvimento espiritual e harmonioso do ser humano, de ensinar todos os meios e todos os métodos destinados a favorecer a expansão do ser, a realização benéfica da vida e sua plenitude, no estrito respeito pelas liberdades”, como é explicado nos estatutos da associação. Mas, por muitos anos, Yvonne Trubert terá de ser perseverante, de escutar, de se doar para agrupar os voluntários que aceitem ajudá-la. Nascida na Bretanha em 1932, casada com Pierre Trubert e mãe de quatro filhos, Yvonne sempre desejou aliviar o sofrimento dos outros, além de suas atividades familiares e profissionais. “É difícil situar o início da missão de Yvonne Trubert, escreve 1 Régis Dericquebourg . Tão distante quanto sua memória pode retornar no tempo, ela se lembra de ter estado atenta ao sofrimento: o seu, de criança asmática, o das outras crianças colocadas em quarentena porque eram contagiosas e que ela ia ver assim mesmo, o das mulheres que lhe confiavam seus problemas quando ela exercia sua profissão de comerciante. “O boca a boca funciona, e inúmeras pessoas vão procurar junto a ela palavras de sabedoria e de consolo. Os problemas de saúde encabeçam as queixas. Yvonne Trubert se dá conta que ela alivia os doentes e tem a impressão de ter uma missão a cumprir...” Em 29 de janeiro de 1982, Yvonne convida para uma reunião dezessete pessoas, dentre aquelas que recebeu. Ela lhes ensina a maneira de confortar os outros, lhes fala de espiritualidade e os encoraja a rezar. Seis meses mais tarde, juntos, eles rezam o terço. 1  Croire et guérir (Crer e curar) de Régis Dericquebourg, mestre de conferências na universidade de Lille III, Dervy, 2001, Paris.
7
Em março de 1983, o grupo acrescido de seus amigos deposita o estatuto de uma associação chamadaInvitation à la Vieou IVI (Convite à Vida); esta será conhecida de interesse geral em 2007. Algumas pessoas desse primeiro grupo testemunharão em 2 Invités à Vivre, um livro que apresenta a associação. 3 Da mesma forma, na Internet, o site define o avanço de Convite à Vida, de um modo simples, universal, cheio de bom senso e destinado aos homens e mulheres de todas as idades, de todas as culturas e de todas as profissões. Dentre as atividades propostas por IVI, a peregrinação ocupa um lugar essencial. Desde 1984, Convite à Vida convidou aqueles que o desejam a participar das peregrinações na França, na Europa, no continente americano, nas terras da Rússia, da África, da Ásia e da Oceania. Paralelamente às peregrinações, os membros de Convite à Vida se deslocam em pequeno número para viagens itinerantes : trata-se de visitar, em outras regiões ou países, grupos da associação para rezarem juntos e trocar ideias sobre projetos em comum. Após essas peregrinações ou outras missões, os participantes podem confiar seus testemunhos (escritos ou fotográficos) ao Livre d’IVItambém, à equipe do site na Internet que os mas, põe no ar nas rubricasDiários de ViagemouTestemunhos. Assim a história da associação Convite à Vida se compõe da história de cada um de seus associados. Ela também é escrita conforme o ritmo dos deslocamentos de Yvonne Trubert desde fevereiro de 1983, no México, na América latina, e por todas as partes do mundo, para visitar as pessoas desejosas de caminhar nos passos de Cristo. A organização adquire um novo impulso. Mas, quer sejam missões ou viagens itinerantes, os membros da associação
2 Invités à vivre, Coletivo, L’Harmattan, 2003, Paris – traduzidoConvidados a Viver, Coletivo, L’Harmattan, 2008, Paris. 3 http:// www.invitation-a-la-vie.org/
8
trabalham no voluntariado. Para saber mais sobre o funcionamento e o espírito desse movimento, é possível referir-se à Carta ética, 4 publicada no site do IVI na Internet, ou aos Anexos desse livro . Na linha dos Evangelhos, Yvonne propõe o ensinamento de Cristo, a prática da oração e de outros instrumentos cuja importância ela explica em centenas de entrevistas, publicadas na revista interna desta associação,Le Livre d’IVI. Essas entrevistas constituem o fermento de uma reflexão, um suporte para a meditação, um encorajamento à fé. Em 2007, as entrevistas conhecerão uma nova publicação, sob a forma de livros, denominadosAsCrônicas de um Convite à Vida. Os oito primeiros volumes agrupam os temas do ensinamento propriamente dito; os volumes 9, 10 e 11, as narrativas de peregrinações, de missões, de colóquios e diversas reuniões realizadas de 1982 a 2009. O volume 12 trata do funcionamento e das estruturas desta associação criada “a serviço da multidão”. Como sempre, na comunicação de Yvonne, a maneira de se expressar dá espaço a um verbo humanista e universal. Em acréscimo, esse volume realça, sem ninguém o soubesse, como a fundadora de Convite à Vida já preparava o prolongamento da sua obra. Assim, desde 17 de agosto de 2009, data do seu desaparecimento, o pensamento de Yvonne mantém dentro de cada um o sopro da esperança e a força de amar, a exortação para prosseguir esta missão e para fazer assim com que Convite à Vida exista, esta associação a serviço da multidão... A cada minuto que Deus nos dá para viver, vamos nos apropriar desta palavra de Yvonne: “Se recebemos alguém que sofre moralmente, fisicamente ou psiquicamente, nós devemos, se dizemos ter descoberto Deus, acolhê-lo como o próprio Filho de Deus.” Albertine Gentou
4 Les os Anexos, à página 114
9
Soyez le premier à déposer un commentaire !

17/1000 caractères maximum.

Diffusez cette publication

Vous aimerez aussi

Le miroir de l'esprit

de marcel-broquet-la-nouvelle-edition