CARACTERÍSTICAS PRODUTIVAS DA OVELHA SERRA DA ESTRELA(CARACTERÍSTICAS PRODUCTIVAS DE LA OVEJA SERRA DA ESTRELA)

De
Publié par

Resumo
A partir dos dados oficiais do Contraste Leiteiro das campanhas de 1993/94 a 1998/99, da raça Serra da Estrela, a segunda raça ovina mais explorada em Portugal, obteve-se uma base de dados inicial com 104038 lactações, das quais, 103633 lactações de 50672 ovelhas pertencentes a 578 explorações foram submetidas a análise com o objectivo de estudar os factores ambientais que influenciam a produção leiteira. Foram analisadas as Produções Total de Leite (PTOT) e Normalizada aos 150 dias de lactação (P150), sendo considerados os efeitos do Criador, Concelho, Ano de Contraste, Variedade, Número, Mês e Tipo de Parto. Verificou-se que todos os factores influenciaram significativamente (p<0.01) as características da produção leiteira analisadas, à excepção da Variedade que apenas influenciou significativamente a P150, e que os efeitos do Criador e do Concelhosão os principais responsáveis pela variabilidade entre observações. As ovelhas primíparas apresentaram produções significativamente inferiores (10-12 p.100) às das multíparas. As produções foram significativamente mais elevadas, em cerca de 7.5-9.0 litros, em fêmeas com partos múltiplos relativamente às que tiveram partos simples. As ovelhas que pariram mais cedo (Agosto) foram mais produtivas, pelo facto de permaneceram mais tempo em lactação. Com base em 402 contrastes qualitativos, realizados em 13 explorações na campanha de 1998/99, registou-se um valor médio de 8.3 p.100 para o teor butiroso, 6.7 p.100 para o teor proteico, 15.0 e 11.9 kg, respectivamente, para a produção de gordura e proteína.
Resumen
A partir de los datos oficiales de contraste lechero en las campañas 1993/94 a 1998/99 de la raza Sierra da Estrela, la segunda raza ovina más explotada en Portugal, se obtuvo una base de datos inicial con 104038 lactaciones de las que 103633 de 50672 ovejas pertenecientes a 578 explotaciones fueron sometidas a análisis con el objetivo de estudiar los factores ambientales que influyen sobre la producción lechera. Fueron analizadas la producción total de leche (PTOT) y normalizada a 150 días de lactación (P150) siendo considerados, los efectos criador, ayuntamiento, año de contraste, variedad, número, mes y tipo de parto. Se comprobó que todos los factores influían significativamente (p<0,01) las características de la producción lechera analizada, a excepción de la variedad que apenas influyó significativamente a p150, y que los efectos criador y ayuntamiento son los principales responsables de las variaciones observadas. Las ovejas primíparas presentaron producciones significativamente inferiores (10-12 p.100) a la de las multíparas. Las producciones fueron significativamente más elevadas, entre 7,5-9 litros en hembras con partos múltiples en relación con las que tuvieron partos simples. Las ovejas que parieron más temprano (agosto) fueron más productivas, por el hecho de que permanecieron más tiempo en lactación. Con base en 402 contrastes cualitativos realizados en 13 explotaciones en la campaña 1988/89, se registró un valor medio de 8,3 para el contenido butiroso 6,7 para el contenido proteico, 15,0 y 11,9 kg respectivamente para la producción de grasa y proteína.
Publié le : mercredi 1 janvier 2003
Lecture(s) : 57
Source : pag: 3-14
Nombre de pages : 12
Voir plus Voir moins
Cette publication est accessible gratuitement

CARACTERÍSTICAS PRODUTIVAS DA OVELHA
SERRA DA ESTRELA
CARACTERÍSTICAS PRODUCTIVAS DE LA OVEJA SERRA DA ESTRELA
1 1,2 3 4Carolino, N., L. Gama , R. Dinis e T. de Sá
1Estação Zootécnica Nacional. Fonte Boa. 2000 763 Vale de Santarém. Portugal.
E mail: Carolinonuno@hotmail.com
2Instituto Superior de Agronomia. Tapada da Ajuda. 1349 017 Lisboa. Portugal.
E mail: LTGama@hotmail.com
3Associação Nacional Criadores Ovinos Serra da Estrela. Qta da Tapada. 3400 Oliveira do Hospital.
Portugal.
4Direcção de Serviços de Produção e Melhoramento Animal. Av. Ant. Serpa nº 26 1º. 1050 Lisboa. Portugal.
PALAVRAS CHAVE ADICIONAIS PALABRAS CLAVE ADICIONALES
Ovino. Producción de leche. Efectos ambienta Ovino. Produção de leite. Efeitos ambientais.
les. Contraste lechero.Contraste leiteiro.
RESUMO
A partir dos dados oficiais do Contraste responsáveis pela variabilidade entre observa
ções. As ovelhas primíparas apresentaramLeiteiro das campanhas de 1993/94 a 1998/99,
da raça Serra da Estrela, a segunda raça ovina produções significativamente inferiores (10 12
mais explorada em Portugal, obteve se uma base p.100) às das multíparas. As produções foram
de dados inicial com 104038 lactações, das significativamente mais elevadas, em cerca de
quais, 103633 lactações de 50672 ovelhas 7.5 9.0 litros, em fêmeas com partos múltiplos
pertencentes a 578 explorações foram relativamente às que tiveram partos simples. As
ovelhas que pariram mais cedo (Agosto) foramsubmetidas a análise com o objectivo de estudar
os factores ambientais que influenciam a mais produtivas, pelo facto de permaneceram
produção leiteira. mais tempo em lactação.
Foram analisadas as Produções Total de Com base em 402 contrastes qualitativos,
Leite (PTOT) e Normalizada aos 150 dias de realizados em 13 explorações na campanha de
lactação (P150), sendo considerados os efeitos 1998/99, registou se um valor médio de 8.3 p.100
para o teor butiroso, 6.7 p.100 para o teordo Criador, Concelho, Ano de Contraste,
Variedade, Número, Mês e Tipo de Parto. proteico, 15.0 e 11.9 kg, respectivamente, para
Verificou se que todos os factores a produção de gordura e proteína.
influenciaram significativamente (p<0.01) as ca
racterísticas da produção leiteira analisadas, à
excepção da Variedade que apenas influenciou RESUMEN
significativamente a P150, e que os efeitos do
Criador e do Concelhosão os principais A partir de los datos oficiales de contraste
Arch. Zootec. 52: 3 14. 2003.CAROLINO, GAMA, DINIS E DE SÁ
lechero en las campañas 1993/94 a 1998/99 de tando esta última cerca de 10 p.100 do
la raza Sierra da Estrela, la segunda raza ovina efectivo), é referida por vários autores
más explotada en Portugal, se obtuvo una base como das mais produtivas (Borrego,
de datos inicial con 104038 lactaciones de las 1985; Carolino, 1999a). Sendo uma
que 103633 de 50672 ovejas pertenecientes a raça de nítida vocação leiteira, o
578 explotaciones fueron sometidas a análisis objectivo principal da sua exploração é
con el objetivo de estudiar los factores ambien a produção de leite, que se destina
tales que influyen sobre la producción lechera.
quase na totalidade para o fabrico do
Fueron analizadas la producción total de
Queijo Serra da Estrela . A SE ainda
leche (PTOT) y normalizada a 150 días de lactación
contribui para a produção de carne,
(P150) siendo considerados, los efectos cria
através do borrego de leite (canastra),
dor, ayuntamiento, año de contraste, variedad,
cujo consumo ainda continua a ser
número, mes y tipo de parto.
reduzido, comparativamente ao verifi Se comprobó que todos los factores influían
cado noutros países mediterrâneossignificativamente (p<0,01) las características
(Dinis, 1998).de la producción lechera analizada, a excepción
A ovelha SE predomina na Zonade la variedad que apenas influyó significativa
mente a p150, y que los efectos criador y ayun Centro do País, sendo criada na sua
tamiento son los principales responsables de las maioria em explorações do tipo fami
variaciones observadas. Las ovejas primíparas liar, em áreas geralmente pequenas,
presentaron producciones significativamente em efectivos de dimensão bastante
inferiores (10 12 p.100) a la de las multíparas. variada. Como é típico na região
Las producciones fueron significativamente más Mediterrânea, os borregos permane
elevadas, entre 7,5 9 litros en hembras con cem com as mães cerca de 1 mês após
partos múltiples en relación con las que tuvieron
o parto, pelo que as fêmeas são explo
partos simples. Las ovejas que parieron más
radas na dupla função leite carne
temprano (agosto) fueron más productivas, por
(Boyazoglu and Flamant, 1990; Barillet,
el hecho de que permanecieron más tiempo en
1997).
lactación.
A Associação Nacional de Criado
Con base en 402 contrastes cualitativos
res de Ovinos Serra da Estrelarealizados en 13 explotaciones en la campaña
(ANCOSE), entidade responsável pelo1988/89, se registró un valor medio de 8,3 para
Contraste Leiteiro e gestão do Livroel contenido butiroso 6,7 para el contenido pro
Genealógico da raça SE, tem um pro teico, 15,0 y 11,9 kg respectivamente para la
grama de selecção, ainda em fase deproducción de grasa y proteína.
implementação, com o estabelecimento
de conexões entre explorações, através
INTRODUÇÃO da inseminação artificial. Contudo, os
objectivos de melhoramento para raça
A ovelha Serra da Estrela (SE) é, estão claramente definidos, referindo
em termos numéricos, a segunda raça se como principais os seguintes:
ovina mais explorada em Portugal, Aumento da produção de leite.
possuindo um efectivo reprodutor que Melhoria da qualidade do leite em
ronda aproximadamente os 90000 termos de teor proteico.
animais. Esta raça que apresenta duas Melhoria da fertilidade e da
variedades, branca e preta (represen prolificidade.
Archivos de zootecnia vol. 52, núm. 197, p. 4.CARACTERÍSTICAS PRODUTIVAS DA OVELHA SERRA DA ESTRELA
Melhoria da precocidade. te utilizada toda a informação dispo
Apesar do número de explorações nível do contraste leiteiro da raça Serra
incluídas no programa de contraste da Estrela (SE), realizado entre 1993/
leiteiro se manter mais ou menos cons 94 e 1998/99 pela ANCOSE, e
tante nos últimos seis anos, o número correspondente a 104038 lactações
de lactações controladas tem vindo a válidas, de 50913 ovelhas pertencentes
aumentar, ultrapassando na campanha a 578 criadores. Os métodos de con
de 1998/99 os 20000 animais controla traste leiteiro oficialmente reconhe
dos, o que representa mais de 20 p.100 cidos são do tipo A4 e AT (contraste
do efectivo total desta raça. Esta alternado), encontrando se cerca de
proporção é superior à média nacional 70 p.100 do efectivo total contrastado
(15 p.100), e comparativamente a raçassubmetido ao método A4. Para
exploradas noutros países, é semelhante determinação da produção total e ajus
ás da Lacaune, Course, Latxa e tada a uma duração de lactação padrão
Pinzirita (Astruc e Barillet, 1996). (p.e. 150 dias) é utilizado o método de
Barillet (1997) refere, que o rácio Fleischmann, utilizando um factor de
do número do ovelhas controladas so correcção multiplicativo de 2,0, para
bre o número total de ovelhas do efec corrigir a produção diária dos animais
tivo, em muitos casos, é insuficiente sujeitos ao contraste AT.
para permitir o desenvolvimento de um Existem algumas diferenças con
programa de selecção, apontando soante as regiões quanto à variedade
vários exemplos de raças, cujas explorada, verificando se na maioria
proporções apresentam valores abaixo dos concelhos uma superioridade em
dos 10 p.100. O número de fêmeas termos numéricos da variedade branca
controladas anualmente parece nos relativamente à preta. Das 104038
atingir valores aceitáveis para a lactações inicialmente disponíveis para
execução do plano de selecção, e de a análise, 23 p.100 correspondian a
fêmeas da variedade preta.acordo com dados de trabalho desenvol
A dimensão media dos efectivos évido por Carolino et al. (1995), a partir
de 60 ovelhas/rebanho variandodeste volume de informação disponível,
consoante a região, desde valoresserá possível encarar diversos cenários
médios de 47 animais por rebanho nosalternativos para a implementação do
concelhos de Carregal do Sal eteste de descendência.
Mangualde, até 79 animais por rebanhoNeste trabalho pretende se efec
em Sta. Comba Dão.tuar uma caracterização do potencial
A maior parte das ovelhas SEprodutivo da SE, com referência à sua
submetidas ao Contraste Leiteiro paremzona de produção, analisando os
entre Agosto e Janeiro (figura 1) , comprincipais factores ambientais que
maior incidência em Setembro einfluenciam a produção leiteira.
Outubro. Esta distribuição dos partos
ao longo do ano é resultado de uma
MATERIAIS E MÉTODOS adaptação do ciclo produtivo dos
animais ao sistema de produção do
No presente trabalho foi inicialmen queijo Serra da Estrela, que tem inicio
Archivos de zootecnia vol. 52, núm. 197, p. 5.CAROLINO, GAMA, DINIS E DE SÁ
40000 do animal ao parto), diminui o número
35000
de lactações controladas disponíveis,
30000
razão pela qual foram analisadas em25000
20000 conjunto ovelhas com número de
15000
lactação igual ou superior a sete.
10000
Das 104038 lactações inicialmente5000
0 consideradas, 62 p.100 (64466)
Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr
correspondem a ovelhas que pariram
Mês de Parto
apenas um borrego e os restantes 38
Figura 1. Distribuição das lactações se p.100 (38885 partos duplos e 687 par
gundo o mês de parto. (Distribución de las tos triplos), a ovelhas que pariram mais
lactaciones según el mes de parto). do que um borrego, verificando se uma
prolificidade média de 1,4 borregos por
parto. Para a análise estatística foram
nos mês de Outubro, coincidindo com excluídas as lactações de fêmeas que
a diminuição da temperatura ambiente, pariram entre Abril e Junho, por haver
fundamental para o fabrico do queijo poucos dados disponíveis nestes me
com sucesso. ses, resultando uma base de dados
Quanto ao número de ordem do final, com 103633 lactações, de 50672
parto, apenas cerca de 10 p.100 da ovelhas, pertencentes a 578 criadores.
informação disponível é de fêmeas Foram consideradas como variáveis
primíparas (figura 2) que muitas vezes de resposta a Produção de Leite Total
parem na Primavera e não são, por (PTOT) e a Produção de Leite Nor
isso, incluídas no contraste leiteiro. malizada aos 150 dias de lactação
A maioria dos dados disponíveis (P150), ambas estimadas pelo método
para a análise (75 p.100) são de ovelhas de Fleischmann, e foram analisados os
que estão entre a segunda e a quinta efeitos do Criador, Concelho, Época
parição, verificando se que, à medida de Contraste, Variedade, Nº Parto,
que aumenta o número de ordem da Tipo de Parto, Mês de Parto e ainda
lactação (e consequentemente a idade algumas interacções entre estes
efeitos. Como as interacções não foram
significativas foram posteriormente
25000 retiradas do modelo de análise. O
20000 modelo linear utilizado foi o seguinte:
15000
= m + cri(con) + con + epoY
ijlmnopq i j l10000
+ var + np + tp + mp + e
m n o p ijlmnopq
5000
em que Y é o valor observa 0
ijlmnopq
1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º do na ijlmnp lactação em cada uma das
Número de Parto
varáveis analisadas, m é a média glo
bal, cri(con) é o efeito do criador den Figura 2. Distribuição das lactações se
i
tro do respectivo concelho, con é ogundo o número do parto. (Distribución de las
j
efeito do concelho, epo é o efeito dalactaciones según el número del parto).
l
Archivos de zootecnia vol. 52, núm. 197, p. 6.
Nº Lactações Nº Lactações
63
10667
7363
20917
39284
25993
19334
11896
16594
8864
13061 7219
3014
9910
336
13555 6CARACTERÍSTICAS PRODUTIVAS DA OVELHA SERRA DA ESTRELA
época de contraste, var é o efeito da produções analisadas, o que poderá
m
variedade, np é o efeito do número doser explicado pelas diferentes carac
n
parto, tp é o efeito do tipo de parto, terísticas das várias explorações con
o
mp é o efeito do mês de parto e sideradas neste trabalho, incluindo os
p
e é o erro associado à ijlmnpq efeitos do maneio praticado, condições
ijlmnopq
observação. Para o teste do efeito do próprias da exploração, mérito genético
concelho foi considerado como deno dos animais, etc.
minador a variabilidade entre criado A época de contraste, que repre
res. A análise de variância foi realiza senta o ano em que os animais pariram,
da com o PROC GLM do SAS (SAS também apresentou um nível de
Institute, 1999). significância elevado nas produções
Foi realizada uma análise prelimi analisadas. Este facto poder se á jus
nar dos caracteres qualitativos (teor tificar pelas diferentes condições
butiroso e proteico, produção de gor
dura e proteína) da ovelha SE, com
base na informação recolhida apenas
Tabela I. Valores de F da análise de
na campanha de 1998/99, uma vez que
variância. (Valores de F del análisis de la
só a partir desse ano, se iniciou a
varianza).
análise qualitativa do leite, de parte do
efectivo contrastado. Como a infor Caracteres
mação disponível ainda é reduzida (402 analisados
observações em 13 explorações), ape
nas se apresentam as estatísticas Efeito gl PTOT P150
descritivas.
1Criador 563 80,48** 82,39**
2Concelho 14 10,88** 8,41**
Época 5 586,03* 1356,44**RESULTADOS E DISCUSSÃO
Variedade 1 NS 11,73*
Nº parto 6 111,96** 143,94**Os resultados obtidos da análise de
Tipo parto 1 893,15** 1124,07**
variância de 103633 lactações de
Mês de parto 6 2361** 435,73**
ovelhas SE, indicam que todos os fac 2R 0,51 0,45
tores considerados, à excepção da
DPR 43,1 32,4
variedade, influenciaram significativa Média 160,3 130,8
mente a PTOT e a P150. A variedade
apenas influenciou significativamente F: quociente das médias dos quadrados.
a P150 (p<0,05). O coeficiente de **p<0,01; *p<0,05; NS não significativo.
PTOT: Produção de leite total, P150: Produção dedeterminação (tabela I) foi de 0,51 e
leite normalizada ao 150 dias de lactação.0,45, respectivamente, na análise da
1Variabilidade entre criadores dentro doPTOT e P150, podendo considerar se
concelho.que o modelo utilizado explicou
2No teste de hipóteses foi utilizada como erro a
razoavelmente a variabilidade entre
média dos quadrados do criador (concelho).
lactações nas produções estudadas. 2R : coeficiente de determinação, DPR: desvio
O efeito do Criador apresentou um
padrão residual.
nível de significância elevado nas
Archivos de zootecnia vol. 52, núm. 197, p. 7.CAROLINO, GAMA, DINIS E DE SÁ
climatéricas ao longo dos anos, que detuada por Treacher (1978), este autor
certo modo, explicam as diferentes refere que em 24 trabalhos realizados
disponibilidades alimentares de ano para por diferentes autores, a superioridade
ano, que são determinantes para a média da produção leiteira em ovelhas
produção leiteira, especialmente num com partos duplos relativamente a par
tipo de produção extensivo como é o tos simples é de 41 p.100. Para Vera y
caso da ovelha SE. Vega (1986) esta superioridade é me
Diversos autores referem os efeitos nor, com valores entre 15 e 25 p.100,
da exploração ou criador e do ano de enquanto que no presente trabalho
parto como os principais factores de verificou se existir uma superioridade
variação da produção leiteira em ovi das ovelhas que pariram 2 ou mais
nos (Boyazoglu, 1963; Romer et al., borregos, em quaisquer das produções
1969; Barillet e Gaillard, 1981; consideradas, na ordem dos 5 7 p.100.
Boichard, 1982; Barillet, 1985; Gul Em alguns trabalhos verificou se
benkian, 1994). Gabiña et al. (1993) que o efeito do tipo de parto não é
apontam os efeitos ambientais da independente da idade da fêmea ou do
exploração ou criador e do ano de número de parto, pelos que os respec
parto como sendo os mais importantes tivos modelos de análise devem consi
em termos de variabilidade na produçãoderar esta interacção, como é o caso
leiteira, possivelmente devido às da raça Lacaune (Barillet et al. , 1990)
alterações de maneio, uma vez que as mas esta interacção não se mostrou
alterações dos valores genéticos significativa na nossa análise.
devem ser menos significativas, como A produção de leite em função do
é o caso de raças em que se iniciou onúmero de partos, tal como em função
programa de selecção recentemente.
Neste últimos 6 anos registaram se
30grandes diferenças entre as produções
c 29PTOT e
analisadas, com diferenças máximas 25
26P150 d
centre época de contraste na ordem dos 22e e20
20
b 19 1930 litros, registadas na P150. Com b
15 16
15base nestes últimos anos (93/94 a 98/
10 d99), constatou se uma tendência
b 85fenotípica da produção leiteira de 3,6 5a a
0 00litros por ano (embora mais evidente a
93/94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99
partir de 96/97), e que a época de 95/ Época de Contraste
96 foi a melhor época (figura 3).
1Valores para o mesmo caracter com letra dife Neste estudo observou se que a
rente, diferem significativamente (p<0,05).produção de leite foi mais elevada em
ovelhas com partos múltiplos relativa
mente às ovelhas de partos simples, Figura 3. Produção de leite em função da
registando se uma superioridade de 8,9 época de contraste (diferencial relativa
1e 7,5 litros, respectivamente na PTOT mente a 93/94 ). (Producción de leche en
e P150. función de la época de contraste (diferencial
Numa revisão bibliográfica efec relativo 93/94)).
Archivos de zootecnia vol. 52, núm. 197, p. 8.
Produção de Leite (litros)CARACTERÍSTICAS PRODUTIVAS DA OVELHA SERRA DA ESTRELA
16 De um modo geral, quanto mais
dPTOT
14 cdc
c 14c tardio é o mês de parto, menos tempoP15012 1313 13 ec
12 12 dura a lactação e, consequentemente,10 11 11
b
8 b b menor será a produção registada, uma
8 f
6 7 7 vez que, segundo o sistema de produção6
4
da ovelha SE, as fêmeas secam se nor
2
a a
0 00 malmente no mês de Junho. Assim, como
1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º
era previsível, verificou se que, quanto
Número de Parto
mais cedo as ovelhas pariram maior foi
1Valores para o mesmo caracter com letra dife a produção de leite (figura 5).
rente, diferem significativamente (p<0,05).
A inclusão dos efeitos do Concelho
e do Criador dentro do respectivo
Figura 4. Produção de leite em função do Concelho em vez de se considerar
número de parto (diferencial relativamen apenas o efeito do Criador, deve se ao
1te ao 1º parto ). (Producción de leche en facto de se pretender fazer referência
función del número de parto (diferencial relativo às diferentes zonas de produção, que
al 1º parto)). de certo modo estão limitadas pelos
próprios Concelhos. A ovelha SE é
explorada nos diversos Concelhos, se
da idade, apresentou uma forma aproxi gundo diferentes hábitos e tradições, o
madamente quadrática, isto é, a que justifica as diferenças nas
produção de leite aumentou desde a 1ªproduções entre Concelhos (figura 6) ,
lactação até lactações intermédias, com uma superioridade nítida das
atingindo um máximo, e decrescendo aexplorações de Fornos de Algodres,
partir daí (figura 4). Sta. Comba Dão, Tondela e Viseu.
Neste trabalho observou se que a
ovelha SE atinge o máximo da sua
produtividade ao 5º parto, aproximada
20
mente com 6 anos de idade, e que a
aaa0 b b c
c dovelhas ao primeiro parto produzem
20
d13 14 litros a menos que ovelhas na 5ª ee
40lactação. Resultados semelhantes
f
PTOT 60foram descritos noutras raças (Latxa,
gP150Préalpes du Sud, Chios e Frísia, Gabinã 80
Ago Set Out Nov Dez Jan Fev
et al., 1993), registando se, de um
Mês de Parto
modo geral, um acréscimo da produção
1de leite até ao 4 5º parto, com tendência Valores para o mesmo caracter com letra dife
para estabilizar, e mais tarde diminuir. rente, diferem significativamente (p<0,05).
Contudo, as maiores diferenças, quer
em temos de produção total de leite, Figura 5. Produção de leite em função do
quer em termos de produção média mês de parto (diferencial relativamente ao
1diária, na maioria do casos, verificam mês de setembro). (Producción de leche en
se do 1º parto para os seguintes (Gon función del mes de parto (diferencial relativo al
zalo et al., 1993). mes de septiembre)).
Archivos de zootecnia vol. 52, núm. 197, p. 9.
Produção de Leite (litros )
Produção de Leite (litros )CAROLINO, GAMA, DINIS E DE SÁ
200 dois últimos anos têm se registado umTotal 150 d
180 maior número de animais com eleva
das produções de leite, resultado do
160
aumento do número de animais con
140
trastados e do referido progresso
120 fenotípico, que poderá ser conse
quência do progresso genético ou da100
melhoria das condições de produção,
ou destes dois factores em conjunto.
Para além do interesse em saber se
Figura 6. Produção de leite por concelho.
o progresso fenotípico registado é de
(Producción de leche por ayuntamiento).
natureza ambiental ou genética, a
necessidade da avaliação genética é
inquestionável, na medida em que se
No que respeita às possíveis trata de uma ferramenta essencial para
diferenças entre variedades branca e que os criadores pratiquem selecção.
preta das ovelhas SE, diversos autores O que um reprodutor transmite aos
têm analisado este efeito, tendo seus descendentes é apenas parte do
chegando a resultados contraditórios. seu património genético e não as
Também tem sido referido, que o efeito condições de produção a que foi sujeito,
da variedade pode estar confundido pelo que o objectivo de uma avaliação
com o efeito da exploração, uma vez genética é, tanto quanto possível, se
que a maioria dos criadores tem ape parar estes dois componentes (gené
nas uma das variedades. No entanto, ticos e ambientais) e determinar o que
este problema pode ser ultrapassado, cada animal poderá transmitir aos seus
efectuando este tipo de estudo apenas descendentes.
em criadores que possuam as 2 varie A selecção dos animais apenas pelo
dades nos seus rebanhos. valores fenotípicos (p.e. P150, PTOT,
Neste trabalho verificou se que o etc.) poderá levar a que se escolham
efeito da variedade influenciou signifi
cativamente (p<0,05) a produção leite
aos 150 dias. Contudo, e apesar de
900
estatisticamente significativa, a 800
700diferença entre as médias das duas
600
variedades que de apenas 1,5 litros,
500
com superioridade da variedade preta. 400
300Este estudo permitiu verificar que
200
existe uma grande variabilidade na
100
produção de leite em ovelhas SE, e que 0
93/94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99
de certo modo, tem se assistido a um
Época de Contraste
progresso fenotípico deste caracter.
Na figura 7 apresenta se a frequência Figura 7. Ovelhas com produção ordenhada
de ovelhas com produções superiores superior a 260 litros. (Ovejas con producción
a 260 litros, ilustrando bem que nos ordeñada superior a 260 litros).
Archivos de zootecnia vol. 52, núm. 197, p. 10.
Produção de Leite (litros)
Arganil
Carregal
Celorico
Fornos
Gouveia
Guarda
Mangual.
Nelas
Oliveira
Penalva
St.C.Dão
Seia
Tabua
Tondela
Viseu
Número de OvelhasCARACTERÍSTICAS PRODUTIVAS DA OVELHA SERRA DA ESTRELA
vez, esta precisão depende do tipo de
Tabela II. Características produtivas da
modelo utilizado e do caracter em
ovelha Serra da Estrela (1999). (Caracterís
questão (Searle, Casella e McCulloch,
ticas productivas de la oveja Serra da Estrela
1992). A escolha do modelo apropriado
(1999)).
para a análise de um determinado
caracter poderá ser complicada, por Produção total leite (litros) 166
que o modelo deverá representar asProdução de leite ordenhada ( litros) 140
características biológicas do caracterProdução leite 150 dias ( litros) 148
Produção média diária (litros) 0,83 em questão (Willham, 1972) e ter em
Duração lactação (dias) 200 conta os efeitos ambientais que o
Teor butiroso 8,3 influenciam (Winggans et al., 1988;
Teor proteico (p.100) 6,7 Kinghorn, 1997; Kominakis et al.,
Prolificidade (borregos) 1,3 2000).
Segundo Barillet (1997), na avalia
ção genética de ovinos leiteiros a
animais sujeitos a melhores condições utilização do Modelo Animal está ge
ambientais, e não os que são genetica neralizada, incluindo normalmente
mente superiores. registos repetidos e os efeitos ambien
A escolha adequada dos animais de tais da exploração, ano, estação e nú
substituição é um dos factores mais mero de parto. Contudo poderão exis
importantes para a eficiência de um tir particularidade de raça para raça
programa de melhoramento, e a que deverão ser levadas em conside
eficácia desta escolha (ou a eficácia ração.
com se seleccionam os animais), de Como a informação disponível so
pende da precisão com que se estimambre os caracteres qualitativos da ovelha
os seus valores genéticos (Van Vleck SE é reduzida, apenas com dados de
et al., 1977; Boldman, 1989). Por sua um único ano de contraste (1998/99),
Tabela III. Características produtivas das raças ovinas portuguesas (1999). (Características
productivas de las razas ovinas portuguesas (1999)).
Raça Produção Produção Produção Duração TB TP
total ordenhada 150 d lactação (p.100) (p.100)
1Badana 99 70 84 161 8,7 5,6
1Churra T. Quente 79 56 73 168 - -
1Mondegueira 110 80 105 165 - -
2Merino Branco - - 85 - 9,2 7,0
1Merino Beira Baixa 63 43 57 160 8,4 5,0
1Saloia 115 75 110 160 7,5 5,0
1Serra da Estrela 166 140 148 200 8,3 6,7
1 2Carolino (1999b); Ramos et al. (2002).
Archivos de zootecnia vol. 52, núm. 197, p. 11.CAROLINO, GAMA, DINIS E DE SÁ
não se realizou uma análise estatística,
1Tabela IV. Factores de correcção para a
apresentando se unicamente os valo
produção normalizada aos 150 dias. (Fac
res médios para os principais caracte
tores de corrección para la producción normali
res de interesse (tabela II) . Ainda que
zada a los 150 días).
não incluídos na Tabela, refira se que
os coeficientes de variação da
Efeito Nível Factor
produção de gordura e proteína
rondaram os 50 p.100, o que permite Ago 0
algum optimismo em teneus de reposta Set 0
esperada á selecção. Mês Out +5
Quanto à prolificidade da ovelha De Nov +7
Parto Dez +9SE tem permanecido aproximadamen
Jan +16te constante nos últimos anos, varian
Fev +37do as médias anuais entre 1,33 e 1,42.
1 +13Estes valores estão de acordo com os
2+6
parâmetros referidos para a raça, rela
Número 3 +1
tivamente a períodos anteriores ao
De 4 +1
deste estudo (DGP, 1987), o que
Lactação 5 0
demonstra uma certa estabilização dos 6+2
valores da prolificidade. 7+6
A ovelha SE é, actualmente, a raça Tipo de Simples 0
ovina Portuguesa que apresenta Parto Múltiplos 7,5
produções mais elevadas (tabela III) .
1Correcção para uma 5ª lactação, de uma fêmeaComparativamente ás restantes raça
com um parto simples, ocorrido em Setembro.autóctones, apenas a raça Saloia,
também do tronco Bordaleiro, e a Chu
rra Mondegueira têm produções de
leite ajustadas aos 150 dias de lactaçãodo valores apresentados por Ugarte et
superiores a 100 litros (Carolino, 1999). al. (2001).
Apesar destas raças serem explora
das prioritariamente para a produção
de leite, também contribuem para a CONCLUSÕES
produção de carne, tal como a maioria
Este estudo permite concluir quedas raças ovinas dos países Medite
existe uma grande variabilidade narrâneos (Astruc e Barillet, 2000), pelo
produção de leite em ovelhas SE, tantoque os níveis de produção de leite são
entre animais, como entre criadores efrequentemente mais baixos. As ca
anos de contraste, o que poderá serracterísticas leiteiras da ovelha SE são
semelhantes às das raças Espanholas favorável para uma melhoria da
Latxa, Churra e Castelhana, com res produção de leite. Nos últimos anos
pectivamente 124, 127 e 127 litros em constatou se uma tendência fenotípica
120 dias de lactação, e um pouco infe da produção leiteira de positiva 3,6
riores às da raça Manchega com 154 litros por ano.
litros aos 120 dias de lactação, segun- Observou se que a produção de
Archivos de zootecnia vol. 52, núm. 197, p. 12.

Soyez le premier à déposer un commentaire !

17/1000 caractères maximum.