Jornal_junho_2015.cdr
16 pages
Português
Le téléchargement nécessite un accès à la bibliothèque YouScribe
Tout savoir sur nos offres

Jornal_junho_2015.cdr

-

Le téléchargement nécessite un accès à la bibliothèque YouScribe
Tout savoir sur nos offres
16 pages
Português

Description

E S Edição: Equipas das Bibliotecas Escolares Ano letivo 2014-2015 DO NOSSO AGRUPAMENTOJunho Nº 13 Agrupamento em ação (ver pág. 7, 10 - 13 e 16) Raul Brandão «... a sua preocupação humanista pela sorte dos pobres, humilhados e ofendidos, a exploração do homem pelo homem, a denúncia das chagas sociais, constitui a nota dominante da sua produção literária.» (ver pág. 3) Orientações sexuais e a sociedade atual (ver pág. 4) Era uma vez uma Escola... Atividades das Bibliotecas Escolares (ver pág. 5) (ver pág. 8-9 ) À conversa com a escritora Mafalda Moutinho Semana das Artes 2015 afirma-se no contexto cultural da cidade de Seia(ver pág. 6) (ver pág. 14) Cursos profissionais da Escola Secundária de Seia abrangeram 600 alunos em 10 anosEditorial A Escola Secundária de Seia, no distrito da Guarda, que comemora na terçafeira 10 anos de ensino profissional, já abrangeu cerca de 600 alunos nos “Na minha opinião existem dois tipos de viajantes: os que viajam para fugir e os vários cursos profissionais que leciona, foi hoje anunciado. que viajam para buscar.

Sujets

Informations

Publié par
Publié le 03 juillet 2015
Nombre de lectures 255
Langue Português
Poids de l'ouvrage 13 Mo

Exrait

E S
Edição: Equipas das Bibliotecas Escolares
Ano letivo 2014-2015
DO NOSSO AGRUPAMENTOJunho
Nº 13
Agrupamento em ação
(ver pág. 7, 10 - 13 e 16)
Raul Brandão
«... a sua preocupação humanista pela sorte dos pobres, humilhados
e ofendidos, a exploração do homem pelo homem, a denúncia das
chagas sociais, constitui a nota dominante da sua produção literária.»
(ver pág. 3)
Orientações sexuais e a sociedade atual
(ver pág. 4)
Era uma vez uma Escola... Atividades das Bibliotecas Escolares
(ver pág. 5)
(ver pág. 8-9 )
À conversa com a escritora Mafalda Moutinho
Semana das Artes 2015 afirma-se no
contexto cultural da cidade de Seia(ver pág. 6)
(ver pág. 14)Cursos profissionais da Escola Secundária de Seia
abrangeram 600 alunos em 10 anosEditorial
A Escola Secundária de Seia, no distrito da Guarda, que comemora na
terçafeira 10 anos de ensino profissional, já abrangeu cerca de 600 alunos nos “Na minha opinião existem dois tipos de viajantes: os que viajam para fugir e os
vários cursos profissionais que leciona, foi hoje anunciado.
que viajam para buscar." "Embora não existam dados trabalhados relativos ao grau de empregabilidade
nos alunos dos cursos profissionais, a perceção dos seus responsáveis é a de
Érico Veríssimo que não é muito divergente da empregabilidade a nível nacional", disse à
agência Lusa fonte da organização das comemorações dos 10 anos de ensino Caro leitor,
profissional e dos 40 anos da Escola Secundária de Seia.
Segundo a fonte, os cursos que já abrangeram "cerca de 600 alunos" são Uma ligeira brisa morna auspicia um final de aulas cálido, porém ardiloso. Quase
"importantes para a região de Seia, porque se constituem como respostas quer apetece embrenharmo-nos nos mil e um aromas silvestres que fluem, ou procurar o
aos agentes locais de desenvolvimento quer à integração na dinâmica regional cheiro a maresia, e esquecer a derradeira etapa do ano letivo, os exames finais.
desse desenvolvimento".Obviamente que esta vontade não vai além de uma fugaz tentação onírica que faz
No ano letivo 2014/2015 a escola ministra nove cursos profissionais, em várias bem aos sentidos e tempera a motivação. Pois, muito, ou tudo, se espera deste fim.
áreas, frequentados por 183 alunos do 10.º, 11.º e 12.º ano.Dele depende o equilíbrio e, por vezes, a consistência da própria vida.
No 10.º ano são ministrados cursos profissionais de Técnico de Análise
Laboratorial (18 alunos), de Técnico de Mecatrónica (19) e de Técnico de Logo depois, os portões das nossas escolas rilham para propalar o silêncio estival. É
Receção (21).assim a vida escolar … um movimento circular, ora harmonioso, ora belicoso, que vai
No 11.º ano administra cursos de Manutenção Industrial Eletromecânica (17 dos livros, ao afeto e à saudade. E tudo isto matiza a vida e torna-a única! Eis porque
alunos), de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos (10) e urge regurgitar preconceitos e agir com sagacidade, para proporcionar aos nossos
de Técnico de Apoio Psicossocial (40).alunos, que vivem num meio aquém do ideal, condições para atingir o sucesso
Ao nível do 12.º ano, a escola tem cursos profissionais de Técnico de Análise desejado. Na verdade, nos tempos que correm, a exigência é cada vez maior, e os
Laboratorial (24 estudantes), de Técnico de Mecatrónica (22) e de Técnico de alunos têm que sobreviver numa sociedade implacável, onde o saber e a astúcia são
Apoio à Gestão Desportiva (12).as grandes armas de defesa. Daí se ter a perfeita consciência de que a escola tem o
O estabelecimento de ensino, que atualmente está agregado ao Agrupamento dever de responder equitativamente às necessidades dos seus alunos,
permitindode Escolas de Seia, é frequentado este ano letivo por 1.238 crianças e alunos, lhes usufruir de um número considerável de saberes. Como se sabe, o êxito também
sendo 75 da educação pré-escolar, 219 do 1.º ciclo, 112 do 2.º ciclo, 162 do 3.º advém do interesse e da diversidade.
ciclo, 418 dos cursos científico-humanísticos, 183 dos cursos profissionais, 39
dos cursos vocacionais e 28 do Curso de Educação e Formação de Adultos.Faça-se tudo em prol do sucesso, quer pessoal, quer profissional! Repensar nisto,
A fonte justificou à Lusa a comemoração dos 10 anos de ensino profissional e serpenteia, obrigatoriamente, a vida! Quiçá, traga um novo ímpeto à escola!
dos 40 anos do ensino secundário em Seia por a Escola Secundária, como
qualquer instituição, se alimentar "da sua memória e dos agentes que fazem Por tudo isto, pense-se neste hiato escolar não só como uma mera fuga à rotina
parte dela".letiva, mas, concomitantemente, como uma busca de mais-valias para o ano
"A Escola sempre foi um referencial de formação local e regional, com um subsequente.
leque alargado de oferta formativa, integrando jovens do concelho de Seia e
limítrofes. Para este percurso muito contribuíram os funcionários, professores A nossa escola espera impaciente…
e alunos", disse.
Além disso, acrescentam os organizadores, "no seguimento que esteve na sua A Equipa
génese, manteve ao longo destes 40 anos uma vertente
prática/vocacional/técnica (cursos técnico profissionais e tecnológicos),
situação essa que foi reforçada há 10 anos com a criação dos cursos
profissionais".SUGESTÕES DE LEITURA "Um grupo de professores desta Escola com a aprovação da Direção do
Agrupamento de Escolas de Seia entendeu assinalar esta data com a
comemoração dos 10 anos da criação dos cursos profissionais e também
homenagear todos quantos, nestes 40 anos, fizeram parte da sua história por
forma a manter e reforçar a dinâmica que nos trouxe até aqui", conclui.
In Agência Lusa
Jantar Literário
Fernando Pessoa
No dia 3 de junho, o Agrupamento de
Escolas de Seia / Escola Secundária
de Seia levou a efeito o evento
“Jantar Literário – Fernando Pessoa”,
Ficha Técnica Lopes, agradece a prestimosa
colaboração do Dr. António José
Novais e de todos quantos
partilharam connosco este momento
Responsáveis: Equipa das Bibliotecas Escolares
único e inesquecível.
Composição de textos: Comunidade
Fotografia: Comunidade
que constituiu um momento Email: jornalvivencias@gmail.com
privilegiado de conhecimento sobre
Web: http://www.aeseia.pt este autor estudado no 12º ano, em
que se associou o rigor científico, o Recolha de textos e organização: Elementos da equipa das bibliotecas escolares
convívio e o prazer da divulgação
Montagem e fotocomposição: Manuela Silva cultural, numa partilha com alunos,
professores e encarregados de
Apoio técnico: Luís Pinto
educação.
Destaca-se a excelente participação Revisão de textos: Ana Ribeiro
dos alunos do 12º ano, cuja atitude e
Tiragem: 500 exemplares desempenho orgulham a unidade de
ensino Escola Secundária de Seia. Impressão: Tipografia Central
A organização, a cargo das Rua Cesário Verde, nº1 A organização
Zona Industrial 2 professoras de português do 12º ano,
3530-140 Mangualde Dr.ª Elisa Branquinho e Dr.ª Fátima
- 2 -EM DESTAQUE
RAUL BRANDÃO
Raul Germano Brandão nasceu na Foz do com palavras que são apenas sons que repulsivo e de grotesco. Fugi para poder
Douro a 12 de março de 1867, foi aqui que tudo edificamos na vida. Mas agora que os viver […] Fugimos para a aldeia… a nossa
passou a sua adolescência e mocidade. valores mudaram, de que nos servem estas casa fica a meio da encosta da colina. Por
Faleceu em Lisboa, cidade onde viveu palavras? É preciso criar outras, empregar trás, o mar verde dos pinheiros, em frente,
parte da sua vida, a 5 de dezembro de outras, obscuras, terríveis, em carne viva, os montes solitários. Este caminho rústico
1930. Sendo filho e neto de homens que traduzam a cólera, o instinto e o criei-o eu palmo a palmo».
ligados ao mar, percebe-se que o oceano espanto.” Quando já se encontrava em situação de
e os homens do mar tenham sido um tema Em 1890, publica o seu primeiro livro reforma do seu posto de capitão (com 45
recorrente na sua obra. O mar foi para ele “Impressões e Paisagens”, contendo anos), inicia a fase mais fecunda da sua
um apelo sempre presente. Passa a sua memórias de infância e juventude. Em 1896 produção literária.
infância nesse ambiente que virá a publica “História de Um Palhaço”. Em 1899 Nesta época, 1912, ele e a esposa, Maria
descrever de forma tão eloquente quanto representa-se no teatro de D. Maria II, a Angelina passam os invernos na capital, em
comovida em “Os Pescadores”. peça “Noite de Natal.” Também o drama “O busca de um clima mais ameno. Era em
Nas suas “Memórias” descreve: “Esta Foz Maior Castigo” sobe à cena, em 1902, desta Lisboa que se informava, convivendo
de há cinquenta anos, adormecida e vez no teatro D. Amélia (atual S. Luís). Em intimamente com uma grande parte da elite
doirada, a Cantareira, no alto do Monte, 1903 publica mais uma obra de ficção “A intelectual do País, conhecendo o que de
depois o farol e sempre ao largo o mar Farsa”, que dedica ao poeta Guerra novo se fazia em termos de produção
diáfano ou colérico, foi o quadro da minha Junqueiro, romance que imortalizou a literária. Quando regressava para a Casa
vida. Aqui ao lado morou a minha avó; no personagem da Candidinha. Em 1906, é a do Alto, trabalhava depois esse material
armário, metido na parede como um vez de “Os Pobres”, onde o poeta diz: “Não registado pela sua sensibilidade
beliche, dormiu em pequeno o meu avô, vejo diante de mim um poema estéril, obra fotográfica.
que desapareceu um dia no mar com toda dos sentidos, da imaginação e da volúpia. C o m o , n ã o r a r a s v e z e s ,
a tripulação do seu brigue, e nunca mais Vejo um ato profundo, espontâneo de acontece/aconteceu com outros autores, a
houve notícias dele.” […] “O que sei de imensidade religiosa. O homem que se qualidade da sua obra não foi muito
belo, de grande ou de útil, aprendi-o nesse confessa abala-me e deslumbra-me.” conhecida /divulgada, como merecia, ou
tempo, o que sei das árvores, da ternura, Figuras como o Gebo e o Gabiru surgem- seja, público e editores não percecionaram,
da cor e do assombro, tudo me vem desse nos neste conjunto de ficções em toda a como deveriam, o valor da sua produção
Inferno deve ser uma retrete de soldado em tempo… Depois não aprendi coisa que grandeza da sua dimensão humana. literária. A este propósito diz Guilherme de
ponto maior...” in “Memórias”(Lisboa, 1919-valha. Confusão, balbúrdia e mais nada”. É, contudo, a partir de 1912 que irão surgir Castilho in apresentação a “O Pobre de
26). Fez no Porto os primeiros estudos, as suas obras de maior fôlego e significado, Pedir” (Editorial Comunicação, Lisboa,
Paralelamente, mantém uma carreira de iniciando o curso liceal no Colégio de São fazendo também algumas incursões no 1984): “Só aos quarenta e cinco anos, em
jornalista e vai publicando extensa obra Carlos. Sobre este período da sua vida e campo da historiografia, embora esta não 1912, com vinte e dois anos de carreira
literária. Em bom rigor, a sua carreira recorrendo de novo às suas “Memórias”: fosse a sua área como o salientou Victor de literária e depois de sete obras publicadas,
jornalística tem início, mesmo antes de “Inverno. Luz turva. Um casarão enorme no Sá: “É certo que Raul Germano Brandão cada uma de diferente paternidade
publicar o seu primeiro livro. Com efeito, alto da Rua Fernandes Tomás dentro de […] não foi propriamente um historiador, editorial. É que Raul Brandão encontra o
ainda no colégio de São Carlos participa uma cerca calcinada… Entro: sala enorme, nem nunca se terá pretendido como tal. A primeiro editor que vai publicar com alguma
nos jornais e panfletos escolares, como é o cheia de petizes dominados pelo mesmo sua obra literária, de intenso humanismo e continuidade as suas obras: A Renascença
caso de “O Andaluz”, acima mencionado. sentimento de terror – 8x7? – 8x7? – Entre entranhada interioridade, está aí para o Portuguesa. Aqui permanecerá até 1923,
Tratou-se de uma revista que os alunos as bancadas passeia um homem demonstrar.” ano em que pela mão de Aquilino, passa a
publicavam “a favor das vítimas dos atarracado e grosso de cabelo Ainda em 1917, publicará aquele que é, na ser editado pela Bertrand. A Seara Nova,
terramotos de Andaluzia” e onde, a par de encarapinhado de mulato, botas de montar opinião de muitos, a sua mais bela obra – o em 1926, será a chancela editorial com que
Raul Brandão, colaboraram nomes que e a palmatória metida no cano das botas: - romance “Húmus” serão lançados os livros da última fase da
viriam a ter relevo nas letras portuguesas: 8x7? – E o seu vozeirão mete medo. – Eu Em 1919 publica-se o primeiro volume das sua vida.”
João de Lemos, Trindade Coelho, José de tinha todos os dias cólicas horríveis, antes suas “Memórias”, com o segundo a ser Sobre este vulto maior da Literatura
Leite Vasconcelos…de entrar no Colégio de São Carlos, e foi ali editado em 1925 e o terceiro, saído Portuguesa, voltamos às palavras de
É quando, em 1888, vem para Lisboa como que principiei a estragar os meus nervos e a postumamente, em 1933. Trata-se de uma Guilherme de Castilho, autor de um dos
aluno da Escola do Exército, que começa a amargar a vida. […]; há quem tenha obra muito reveladora do permanente mais inteligentes estudos biográficos sobre
publicar intensamente textos em jornais e saudades do colégio: eu sonho às vezes sentimento humanista do escritor, falando o autor em questão (Raul Brandão – Vida e
revistas, agora já com carácter profissional. com ele e acordo sempre passado de muito mais dos outros do que de si mesmo. Obra, Lisboa, 1979): “A história da vida de
Assim, colabora em “O Imparcial”, no terror… “. Uma das obras mais notavelmente Raul Brandão […] é, pode dizer-se, a
“Correio da Noite”, na “Revista Ilustrada”, Não obstante, nem tudo terá sido tão elucidativas sobre o que foram, no campo história da sua obra. A alguém que lhe pediu
no “Novidades”, no “Correio da Manhã”, sinistro como a aprendizagem da tabuada, social, moral, político e cultural as primeiras a sua biografia, respondeu: “Podia dizer-lhe
jornal fundado por Pinheiro Chagas pois é naquela escola que Raul Brandão décadas do século XX. No ano de 1923, quando nasci, quando comecei a escrever,
(escritor com o qual Raul Brandão ainda desperta para as letras – no “Andaluz”. Em mais uma das suas belissímas obras surge etc. Considero tudo isso inútil. O importante
chega a conviver), em «O Dia», na “Revista 1888 completa o curso liceal e, no ano letivo “Os Pescadores”, resultado, como já foi dito seria dizer-lhe quando o fantasma se
Portugal”, dirigida por Eça de Queirós (e seguinte, começa a frequentar como anteriormente, do seu conhecimento da intrometeu na minha vida. Nem sei ao
onde colaboraram autores como Oliveira ouvinte o Curso Superior de Letras da vida no mar, dos percursos que realiza por certo... […] Da vida não posso
Martins, Antero de Quental, Teófilo Braga, Universidade do Porto. Por esta altura é praias e aldeias de pescadores, mas avançar mais nada, além do que aí está em
Guerra Junqueiro, Ramalho Ortigão, promulgada a obrigatoriedade da também de uma viagem que fez aos farrapos nalguns dos meus volumes…” .
Magalhães Lima, Fialho de Almeida…) e na prestação do serviço militar e Raul Brandão Açores. No prefácio da edição de 1988, Terminamos esta abordagem biográfica e
“Revista de Hoje”, por si fundada. É ainda rapidamente abandonou o curso para se José Cardoso Pires salienta: “Um escritor bibliográfica com as palavras com que, em
colaborador assíduo de jornais como “O matricular na Escola do Exército, ao que que registou a paisagem com esta janeiro de 1918, ele dá início às suas
Século”, “Diário de Notícias”, “Portugal-parece, a contragosto. Aqui não terá sido inquietação e com estas referências não “Memórias”: “ Se tivesse de recomeçar a
Brasil”, etc. Em 1912, relaciona-se com muito feliz. O seu espírito contemplativo e cabe nas molduras que alguns leitores vida, recomeçava-a com os mesmos erros
Teixeira de Pascoais e colabora em “A pacífico não se adequava à carreira militar e apressadamente ainda pretendem impor- e paixões. Não me arrependo, nunca me
Águia” com um importante artigo sobre a inclinação para a literatura era claramente lhe com veneração. A sua leitura do país vai arrependi. Perdia outras tantas horas
Fialho de Almeida. Juntamente com Jaime mais forte do que para o exercício das mais longe, tem outro futuro – projeta-se na diante do que é eterno, embebido ainda
Cortesão, Aquilino Ribeiro, Azeredo armas, como se pode constatar, de novo, atualidade do nosso viver e da nossa neste sonho puído. Não me habituo: não
Perdigão, Câmara Reis e outros, lança a nas suas “Memórias”: “Na Escola do escrita”. Dentro da mesma linha de posso ver uma árvore sem espanto, e
revista “Seara Nova”, cujo impacto na vida Exército ensinavam, no meu tempo, coisas descrição de quadros da faina piscatória, acabo desconhecendo a vida e titubeando
cultural e política do país foi importante ao inúteis que me deram mais trabalho a insere-se o livro publicado em 1926 “As como comecei a vida. Ignoro tudo, acho
longo das décadas seguintes.esquecer que a aprender.” A este propósito Ilhas Desconhecidas”, que, a título de tudo esplêndido, até as coisas vulgares:
A obra dos artistas é sempre, de uma forma são também elucidativas algumas curiosidade, refira-se, inspira o conhecido EXTRAIO TERNURA DUMA PEDRA.”
ou de outra, produto das suas vivências. classificações, no registo das provas que código de cores das ilhas açorianas:
Bibliografia consultada:Assim acontece com Raul Brandão: a sua presta, em 1893, no Regimento de Terceira, ilha lilás; Pico, ilha negra; S.
experiência de vida – a escolar, a Infantaria n.º 6, do Porto: “Tiro: atirador de Miguel, ilha verde…
B r a n d ã o , R a u l - jornalística, a militar… e a sua grande 2ª classe; ginástica: medíocre; esgrima: Neste mesmo ano de 1923 publica três
http://www.vidaslusofonas.pt/raulbrandao.htm sensibilidade estão plasmadas na sua obra. medíocre.” Ainda assim, por vontade e peças de teatro: “O Doido e a Morte”, “O Rei
(visita à pág. Em 29-05-2015) Na última década do século XIX, Raul desejo de seus pais, prosseguiu na Escola Imaginário” e “O Gebo e a Sombra”. Em Brandão, Raul - http://pt.wikipedia.org/wiki/Raul
Brandão fazia parte dos escritores Militar. Uma grande parte da sua vida de 1929, será editada outra das suas famosas (visita à pág. Em 30-05-2015)
seduzidos pelo simbolismo tendo vivido um oficial decorreu imersa em papelada, em obras – “O Avejão”. “O Pobre de Pedir” Brandão, Raul – Portal da Literatura em
período denominado nefelibatismo (aquele trabalho meramente burocrático, uma vez apenas será publicado postumamente em Português.
que se afasta da realidade, idealista, Barreiros, António José – História da Literatura que estava ligado ao Ministério da Guerra. 1931.
Portuguesa. 2º volume. Séculos XIX-XX. 9ª sonhador).Mais tarde ao fazer um balanço da sua vida Cabe ainda uma referência à “Casa do
edição, pp. 400-405.Contudo, a sua preocupação humanista militar, diz-nos: “Durante o tempo que fui Alto”, situada na Nespereira (Guimarães),
Bragança, António – Literatura Portuguesa. 3º pela sorte dos pobres, humilhados e tropa vivi sempre enrascado, como se diz uma aldeia minhota, onde, já casado foi
volume 12.ª edição, pp. 353-365.ofendidos, a exploração do homem pelo em calão militar. Tudo me metia medo, os viver em 1903. Ela desempenhou um Saraiva, António José; Lopes, Óscar – História da
homem, a denúncia das chagas sociais, homens aos berros que ecoavam no quartel importante papel na sua vida de escritor. Lá Literatura Portuguesa. Porto
constitui a nota dominante da sua produção (era o Cibrão na secretaria); castigo para escreveu muitas das suas mais Editora.
literária. São elucidativas as palavras com um lado, castigo para o outro; e as coisas extraordinárias obras. Diz, a este propósito, Verbo, Enciclopédia – Luso Brasileira de Cultura.
que termina o romance “Húmus”: “Não só Edição séc. XXI. 5.º volume, pág. 119.negras, feias, agressivas, a parada, a nas “Memórias”: «a certa altura da vida tive
os sentimentos criam palavras, também as caserna, as retretes. Levo para a cova a a impressão de que me despenhara num
Rosa Isabel Martinspalavras criam sentimentos. As palavras imagem daquelas retretes como uma das mundo de espetros. A face humana
meteuformam uma arquitectura de ferro. [...] É coisas mais infames que conheci na vida. O me medo pelo que nela descobria de
- 3 -OPINIÃO
money and own houses all over the you feel entitled to judge them, why do Success (: A Thing of Beauty
world. They say we will marry someone you feel like you have the right to judge
equally beautiful and rich that will make someone based on their appearance? Standards of beauty are something What is success? What is being our lives happy ever after. Each person’s body is their own, and
that spread through this world like a successful? Is it being rich? Famous? They only forget to mention all the in the end of the day what matters the
disease, making us sick and making Recognized? Well, it’s much more than trouble, all the difficulties we need to go most is what’s inside the person. If you
us feel vulnerable. As far as that and it’s not as simple as it seems. through just to get a fraction of this. feel the need to judge someone, judge
standards of beauty go, we live in a For me and I dare say for many, it means Success is not simple to get as many them based on their actions and what society that turns women into that, with only our effort and dedication think and some may pass difficult times they say, rather than what they look
something to be seen rather than we can get what we want, despite all the just because they thought they were like. Beauty is something far beyond
people worthy of respect. Men have difficulties. It isn’t just the fact that we are good enough, that they could handle it… physical appearance, we are our
standards of their own too, but good with the thing we do, because we Again, it’s not that simple! thoughts and our actions, not our
women’s are much harsher. And that do it right; it’s conquering our worst fears Remember when they told Walt Disney bodies. To put it in a simple way,
is something that is most certainly not and maybe even crossing some barriers lacked imagination and had no good everyone is the way they are and no alright.and limits of what we call our comfort ideas? When Albert Einstein wasn’t one but ourselves can tell us how to
Shave, wear makeup but not too zone… intelligent enough to solve an equation? be.
much makeup or you’ll seem fake and And success represents a big part of When we knew Van Gogh died with only To people who struggle with body
superficial; be thin but not too skinny what makes us happy and fulfilled: how one sale because he wasn’t good image, as Maya Angelou, an
because you still need to have many times did we arrive home so happy enough? And remember when they all American writer, said: “Comparison is
breasts and a bottom or you’ll look just because someone liked something proved the world was wrong? an act of violence against the self”, sick; wear revealing clothes but not we did? What I mean to say is, of course it’s not which means that comparing yourself
too revealing otherwise you’ll be seen However, it is also something that we are easy, it never was, but clearly that doesn’t to others is something that will only
as a “slut” and if you wear pressed to get, even if we are only little mean we have to give up all our dreams. make you feel bad. There is an
“conservative” clothes you’ll be seen kids. It only means that we are facing normal exception however, if there’s an
as a prude; be yourself but don’t BE Today the pressure society does on us is situations and we have to keep going and actress that you like, for example, and yourself, be someone that will please considered to be very unhealthy and going. she has a big nose, you start to see others, someone that they will like to known for making people do what they So whatever is the dream you have, just your big nose as something beautiful
be seen with because you look good don’t want. It is something that it’s just move on, on what you are doing, because too, because that actress who has a
and wise. not natural because it forces us to do or success is not that thing that is reachable big nose is beautiful too. It’s the only
This is something that girls live with follow things that maybe we don’t want, without any effort! Fight and you’ll see moment in which comparison is
every day, and it is something that that are not our intentions. that I’m right, and most important don’t acceptable. Take “selfies”, be kind to needs to be changed. We need to They tell us when we are young that we regret anything you do! yourself, flatter yourself, fake teach young girls that it’s okay to have were already born to be famous doctors confidence until it’s real, and best of
Joana Santos, 11ºA their body, it’s okay to wear what they or footballers, great people who help all, don’t care about what others say,
want, it’s okay to be themselves. It’s others, and that we will earn a lot of your opinion is all that matters.
okay to want to be feminine, it’s okay “Success is liking yourself, liking what
to be a boy, it’s okay to be whoever
you do and liking how you do it”, artist is that the mangaka never portrays a A different way of they want to be.
another phrase by Maya Angelou, fully good or fully evil character, because We need to start this mentality expressing art sums it all up. Be yourself and accept there are no such things as a totally good ourselves however. What is it to you if yourself, no matter what others say or totally bad person in this world. A someone doesn’t pluck their about it, do things the way you want to mangaka makes us understand that eyebrows, or if they wear too much Art doesn't have to be necessarily pretty, and remember, respect yourself human hearts are not all black, or all makeup, or if they dress in a particular it has to be meaningful and any good above all else. Your body, your rules. white, because we have the power of way? How does that affect you, or Mangaka artist understands this choice, for example having a bad action even better, why? Why does it have Andreia Santos, 11ºEconcept. The job of a mankaga artist is for the people we love. anything to do with you, and why do not only to create good art, but it's also to They show us conflict, they show us
capture and get hold of the reader´s controversial topics and they want us to
attention. A mangaka has to master all maneira atroz, como são as pessoas visão da sociedade quanto a pessoas think.
drawing techniques to perfection and não-heterossexuais. de diferentes orientações sexuais. What would we do if we were in the same
evolve from that, by creating their own M u i t o s d i z e m q u e “ a Mais, há muitas pessoas religiosas situation as their characters?
personalized style. They also need to heterossexualidade é o normal; com orientações sexuais para além Would we be able to make a bad choice
create interesting characters and a new homem e mulher existem para da heterossexualidade. for the people we love? Would we be able
word they can live in, to make their procriar; é a lei natural das coisas e os As diferentes orientações sexuais to put the value of love on top of honor?
stories happen. animais também agem desta forma.” são na verdade uma coisa boa, que Even if the answer is obvious to some, it
What might be the goal of wanting to Primeiro, humanos são animais nos ajuda a definirmo-nos como still makes us think, and with all that a
achieve all that? racionais, apesar de muitas vezes indivíduos, a expandir os horizontes mangaka will create a story that it's worth
The goal is to give the reader a motive to não agirem como tal. Há muito que os para além dos impostos ao ser reading.
never stop turning the page, because humanos passaram a fase em que as humano, uma coisa que os humanos Many mangakas tend to follow a
the mangaka creates in us, a thirst and a “relações interpessoais têm como têm feito há centenas de anos. É professional path and many of their
wish to get to know more, more of what objetivo a reprodução”, e passaram a importante que na nossa sociedade stories can be featured in films or anime
may happen next to the characters we ser criaturas cujo significado de viver as orientações sexuais sejam (television animated series), but
love in their stories. está muito para além disso. As reconhecidas e respeitadas, para que whatever may be the case, all fiction has
The characters they create are probably relações que as pessoas têm entre si, as gerações futuras não tenham de to have a certain amount of truth in it to be
the most important aspect to the nos tempos que correm, são viver com a discriminação que os powerful and mangakas achieve that
mangas/comics, because the only thing baseadas nos sentimentos que h o m o s s e x u a i s , p a n s e x u a i s , a l m o s t p e r f e c t l y ; t h e y m a k e
worth writing is about the human heart in nutrem umas pelas outras e não bissexuais e assexuais, entre outros, unpredictable interesting art that is
conflict with itself. apenas na procriação. Para além vivem agora. capable of making us think, cry and crave
So, what is really a mangaka? disso, há registo de atividade Uma pessoa não pode simplesmente for reading more.
A mangaka is simply a sort of comic homossexual entre animais, o que dizer que quer ser homossexual, “I am interested in art as a means of
book artist, whose only goal is to make prova que, apesar de a procriação ser apesar de a sociedade tratar as living a life; not as a means of making a
an interesting story and develop um elemento chave na vida dos pessoas não-heterossexuais como living.”( Robert Henri)
complicated issues that our humanity mesmos, os animais também têm tal. A escolha de serem humilhados,
has to deal with. One of the differences esse tipo de relações. gozados, maltratados, muitas vezes
between a mangaka and a comic book Francisca Dias, 11º F Ainda há as pessoas que se opõem a pelos próprios familiares e amigos, e
todos os outros tipos de orientações excluídos de ambientes seguros não
acontece na sociedade. s e x u a i s p a r a a l é m d a é uma escolha feita pelas pessoas. A Orientações Sexuais e a
Para começar, é necessário refletir no heterossexualidade por razões situação não é de todo essa.
Sociedade Atual porquê de haver este preconceito. A religiosas. “A bíblia diz que a Em conclusão, a sociedade atual
heterossexualidade é, tendo em homossexualidade é um pecado”; é ainda não aceita, ou posto de uma
consideração a população geral, a um dos argumentos muito utilizados maneira melhor, respeita as Na nossa atual sociedade há uma sexualidade da maioria. Mas será que quando é dada esta desculpa. No diferentes orientações sexuais das grande variedade de orientações isso é desculpa para a negação de entanto, a Bíblia diz que polyester, a pessoas que vivem nela. É uma sexuais. Orientação sexual é, primeiro direitos a outras orientações? Não, não é combinação de dois tecidos no situação triste, mas, se a sociedade que tudo, o género pelo qual uma pessoa de todo uma desculpa aceitável. Na vestuário (Leviticus 19:19), o divórcio conseguir evoluir de uma maneira se sente atraída, quer seja sexualmente verdade, não é de todo uma desculpa. (Marcus 10:8) e o marisco (Leviticus positiva, decerto a situação vai ou romanticamente. Apesar da época, Mesmo sendo uma minoria, as pessoas 11:10) também são pecados e, no mudar. Respeito e mentes abertas chamada “moderna”, em que vivemos, não-heterossexuais continuam a ser entanto, são coisas banais. Razões serão os passos necessários para há ainda um ambiente de preconceito indivíduos pertencentes a uma religiosas não são mais importantes que essa evolução seja levada a que circunda as pessoas com sociedade. Por exemplo, as pessoas do que a dignidade e a essência de cabo.orientações sexuais diferentes, quando com cabelo ruivo são uma minoria e, no uma pessoa e, como tal, a religião deveria haver respeito pelas diversas entanto, não são discriminadas de uma não devia ter qualquer influência na Andreia Santosorientações. O que de momento não
- 4 -OPINIÃO
Uma coisa é certa, a partir dali a escola mudança de atitudes? Não é a falta de diferença, de contribuir para que o Era uma vez uma
teria de ser sentida como um todo, isto recursos ou ferramentas de trabalho. A aprender seja uma forma geral de
Escola…. é, como agrupamento. É assim que me quantidade de recursos pedagógicos emancipação e ensinar um ato de amor
vou referir ao agrupamento de escolas era bem inferior há alguns anos atrás e e partilha.
de Seia, como Escola. A maior mesmo assim a qualidade do ensino, Cito de novo Beauclair, “sonhar uma Ao fazer um flashback sobre a minha
diferença está em ser constituída por da aprendizagem e o interesse dos outra escola é desejar avançar, é trajetória profissional, enquanto
mais membros mas o seu papel, a sua alunos era bem superior aos dos dias colocar-se em movimento de abertura professora, invadiu-me uma certa
função é só uma e a mesma. hoje. Até nós, professores, quase não para o novo, para as dúvidas, para o nostalgia ao recordar o meu percurso a
Recordo a Escola ao longo do tempo, conversamos uns com os outros, a não-saber. A transformação da escola partir de outubro de 1991, quando
tentando vivenciar as conjeturas partilha, a interajuda e troca de ideias é n e c e s s a r i a m e n t e e n v o l v e a iniciei funções na Escola Secundária
sociopolíticas que foram emergindo reduzidíssima, comparada com a de há modificabilidade nas relações, de Seia.
até hoje, realçando o que de mais seis, sete anos atrás. compreendidas como um processo de Foi nesse espaço social que tomei
humano possa existir nesta instituição. O que se passa com a minha Escola? O exercício de diálogo e surgimento de consciência que o ensino era a minha
Agora aqui, citando João Beauclair, que se pode fazer para que melhore? tensões. É no enfrentamento destas vocação, até ali renegada e até
lanço um olhar sobre a Escola, criando N a m i n h a h u m i l d e o p i n i ã o , tensões que o sonho se constrói, é no contrariada. Foi neste meio que me
uma possibilidade à nossa reflexão, relativamente aos alunos, ter-se-á que encontro com as diversidades que se tornei crítica, insatisfeita, lutadora,
dentro de uma perspetiva de trabalhar na e com a família, integrando alicerçam possibilidades de concretas mestre, dinâmica e reflexiva entre
positivação do seu papel e função, indo e responsabilizando a sociedade de transformações”. Temos que ser outros atributos a que me poderia
para além dos campos dos dilemas e uma forma geral, em relação às empreendedores, criar mecanismos de “colar” mas que menos terão a ver com
desafios até ao lugar humano dos verdadeiras necessidades dos alunos respeito a múltiplas inteligências, a professora, a mulher e a mãe em que
sonhos e das utopias que existem em quer a nível escolar quer pessoal, unificar as diferenças, criar condições me tornei.
cada um de nós. enquanto indivíduos. Porque essa é a para que nos sintamos mais felizes na A Escola é a minha segunda casa.
Segundo o autor supracitado, a escola verdadeira função da Escola, formar e s c o l a , a p r e n d e r a s o n h a r Toda a sua envolvência foi e é
enquanto espaço e tempo no pessoas. Ainda me lembro de ouvir um coletivamente e a exercer uma vivenciada como se da família se
quotidiano tem uma importante função colega, diretor de turma, dizer a um pai cidadania ativa e plural. Pois é no plural tratasse. Faz parte integrante da
social e por isso deve ser dinâmica e “A melhor herança que pode deixar ao que a Escola tem de encontrar o(s) minha identidade e julgo que este
viva. Este dinamismo e esta vida seu filho é um curso, uma profissão, seu(s) caminho(s), reconhecendo-se sentimento não é só meu.
refletem-se nos fazeres, nos saberes e deixe lá o carro, esse virá depois”. Pois como instituição de e para todos.Mergulhando nas recordações, lembro
nas práticas. É engraçado que na agora vem primeiro o carro! Também É tão bom sentir o sabor da mudança bem o dia em que entrei pela primeira
minha memória tenho que aquele temos de mudar de mentalidade, quando a escola se torna um espaço vez na Escola Secundária de Seia.
dinamismo, num sentido mais perceber que constituímos um todo, vivo, em movimento constante com o Admirei a simpatia de todos,
globalizante, existiu em crescendo até somos diferentes mas temos de qual nos identificamos. É com essa principalmente do presidente do
mais ou menos 2006, depois foi trabalhar em conjunto e por isso Escola que eu sonho, é essa “era uma Conselho Diretivo da altura, o meu
diminuindo até hoje, embora no que adaptarmo-nos uns aos outros. vez uma escola”, de que queria falar aos caro colega Francisco Nunes, que me
respeita a atividades e projetos ainda Cecília Meirelles diz que “a vida, (…) só meus netos, um dia. É essa a Escola fez sentir em casa, logo ali na
seja notório. Talvez por isso ainda se é possível reinventada”. Assim como a onde me quero sentir feliz todos os dias. apresentação. Não foi um início fácil,
sinta vida na Escola. As políticas vida temos de reinventar a nossa Então, há que procurá-la, mais que isso, vinha de uma escola pequenina e
sociais e económicas do país têm Escola. Acredito que muitos de nós encontrá-la!chegava a uma enorme, a
grande influência neste “estado de dedicam grande parte do seu tempo a O sonho, diz o poeta António Gedeão, segunda com mais alunos no distrito,
coisas”. A desmotivação cada vez mais pensar um futuro melhor com uma “comanda a vida”. Sei, sabemos todos, naquela altura. Lembro o Dr. Pedro, a
visível, da parte dos alunos e dos educação de qualidade, pessoas que surgirão no percurso, cheio de quem responsabilizo por ter decidido
professores, o desinteresse em conscientes, empreendedoras, com fé novos caminhos, muitas resistências ser professora, como tantos outros e
investir, o cansaço de remar contra a nelas próprias e nos jovens com quem mas, como Paulo Freire dizia, “educar é com muito carinho. Os que já partiram
maré, requerem um urgente trabalham. Mas não chega pensar um ato político e exige que, para a d e s t e m u n d o s e r ã o s e m p r e
tratamento. sozinho. transformação do mundo, o sonho seja recordados e tomados como exemplo.
A capacidade de refletir, parece ser um Acredito que tenhamos alguma vigoroso, pleno de coragem para sua Os que entretanto se reformaram,
bom primeiro tónico, pois conduz ao influência na criação de uma política realização. O sonho é aspirar ao desejo acabam por estar ainda presentes em
desenvolvimento das nossas justa em todos os setores sociais, cujo de mudança e acreditar que novos mim e julgo que em todos nós. Todos
competências e habilidades de pensar requisito seja o crescimento intelectual, modelos de ser e estar em educação influenciaram a minha forma de estar
e de saber, de saber e de fazer e de que amplie sistematicamente a sua são possíveis.” na profissão de alguma forma. Existia
pensar o saber fazer e fazer pensar. visão numa (re)construção de novas Tenho saudades da Escola como a partilha, amizade, interajuda. Eramos
Utopia? Olhem que não! Como diz visões, que ouse construir novas conheci mas, acredito que a vou rever uma família.
Eduardo Galeano, "A utopia está lá no formas de ser e estar. Tudo isto é válido bem melhor em breve, especialmente Em 1996 fui colocada no quadro da
horizonte. Aproximo-me dois passos, em educação e por isso torna-se se for aquela Escola capaz de enfrentar Escola Básica Dr. Abranches Ferrão,
ela se afasta dois passos. Caminho essencial refletir criticamente sobre as os desafios presentes atendendo aos na altura denominada Escola Básica
dez passos e o horizonte corre dez nossas ações e condutas enquanto erros e acertos do passado e, acima de do 2º e 3º ciclos nº 2 de Seia, onde
passos. Por mais que eu caminhe, profissionais. É fundamental intervir no tudo, que não esquece os que a amam e estive três anos. A maioria dos colegas
jamais o alcançarei.” processo de construção do projeto aconchega os que a procuram. do terceiro ciclo eram conhecidos, pois
Pois é! Era uma vez uma escola onde pedagógico da Escola, porque é neste vinham também da Escola Secundária
se pensava, se sabia e se fazia mas que esta se define e adota formas e Algum dia, quando tivermos dominado de Seia, continuei a sentir-me em casa
onde pensar o saber fazer e fazer estratégias de trabalho. Nesta os ventos, as ondas, as marés e a e não fosse a preferência pelo ensino
pensar, está, hoje, reduzido ao mínimo reinvenção da Escola têm que se criar e gravidade... utilizaremos as energias secundário não teria regressado à
i n d i s p e n s á v e l p a r a a s u a permitir espaços de construção do amor. Então, pela segunda vez na Escola Secundária. Mas, ironia do
sobrevivência. coletiva onde todos os atores história do mundo, o homem descobrirá destino, em 2010, as duas escolas
Para os que vivenciaram a Escola de educativos tenham voz ativa e vez o fogo. (Teilhard de Chardin).passaram a pertencer ao mesmo
alguns anos atrás, e presenciam os participativa. Para isso é necessário Agrupamento. Pode parecer que foi na
atuais acontecimentos, nota uma ver, saber ouvir e, mais que tudo, sentir Poderei, então, nesse dia dizer com altura da constituição do Agrupamento
mudança drástica em relação ao no coletivo. toda e energia (transferida como calor de Escolas de Seia que as mudanças
comportamento dos alunos, à falta de É da experiência cotidiana e da prática desse fogo): Era uma vez a Escola com nos comportamentos de todos os
interesse pelos conteúdos e pedagógica que se deve partir para que sempre sonhei e de que tanto me atores educativos começaram. Sim
desrespeito pelos professores e compreender a Escola. Sonhar com orgulho!também, mas não só. O “estado da
assistentes operacionais, que são uma Escola melhor é continuar a nação”, a conjetura sociopolítica e
Margarida Amaralapenas alguns dos problemas bem discutir, a participar ativamente, é económica influenciou, muito mais.
identificados. Mas porquê esta pensar e agir no desejo de fazer a
- “Onde serias tão importante que retrato grátis?!” - “Sinto-me GRANDE trabalhando com Sou professora!
pudesses chegar à estrela do - “Em que outro lugar as tuas palavras pequenos”
desfile...para lhe limpares os causariam tanta admiração?!”
- Quando digo que sou professora, em “macacos”?! - “Em que trabalho te receberiam de
geral, respondem com um “Ah!” tão - “Em que outro lado te esquecerias das braços abertos depois de teres faltado A todos os professores, que tanto
insípido, que gostaria de dizer: tuas tristezas, para atender a tanto um dia?!” semeiam para que outros recolham
- “Em que outra profissão poderias pôr
joelho esfolado e coração afligido?” - “Onde poderias assistir, na 1ª fila, à A todos os que escolheram esta laços no cabelo, fazer penteados
- “Onde receberias mais flores?” execução de grandes obras de arte?!” profissão...
inovadores e ver um desfile de moda - mais poderias iniciar na escrita - “Onde poderias aprofundar os teus OBRIGADA!
todas as manhãs?” uma mãozinha que, quem sabe, um dia conhecimentos sobre bichos de seda,
- “Onde te diriam todos os dias: «És Texto traduzido e adaptado de: “Soy Maestra”poderá escrever um livro?” caracóis, formigas e borboletas?!”
linda!!!!» Jardim de Infância de Santa Comba- “Em que outro lugar receberias de - “Em que outro sítio derramarias
A educadora Maria de Fátima- “Em que outro sítio te abraçariam para
presente um sorriso?!” lágrimas por teres que terminar um ano te dizer o quanto te querem?”
- “Em que outro sítio te fariam um de relações tão felizes?!”
- 5 -ENTREVISTA
«Vivências» conversa com a escritora Mafalda Moutinho,
autora da coleção «Os Primos»
Mafalda Moutinho, autora da coleção afinal… a vida dá imensas voltas!
“Os Primos”, os mais jovens e J. V.: Uma das obra lidas pelos alunos
destemidos exploradores, esteve no do 6.º ano foi “O mistério das J. V.: Como é a preparação de um
nosso agrupamento. A Micaela Catacumbas”. Por que é que a livro?
Mendes, a Sara Sousa e a Carolina aventura se passa em Roma, nas
Ferreira, resolveram entrevistar a catacumbas? M. M.: Muito interessante e trabalhosa.
escritora, para o Jornal do Nunca escrevo nada sem investigar
M. M.: A aventura passa-se em Roma muito bem o local, a ciência de base os
porque é uma cidade que conheço elementos centrais da história. Depois,
bem por ali ter vivido algum tempo. As quando começo a escrever, a
catacumbas são muito misteriosas e investigação (e o mistério) só acabam
esse mistério corresponde ao espírito na última página, mesmo para mim
da história. Há segredos em torno própria.
delas e isso é bom para a intriga.
J. V.: Recebe muitas cartas de fãs?
J. V.: Por que é que a Ana é mais Imensas e ainda bem.
corajosa do que a Maria?
M. M.: Tenho uma enorme satisfação
M. M.: A Ana e a Maria são como eu e a ao ler os comentários que me chegam
minha irmã, a minha irmã é mais a o s i t e d o s P r i m o s
corajosa do que eu. Eu sou parecida (www.osprimos.com). Respondo eu
com a Maria. Eu precisava que a Ana própria a todos.
Agrupamento «Vivências...». fosse mais corajosa porque uma das
duas tinha de tomar decisões que J. V.: O que pode fazer para que uma
Jornal Vivências.: Como surgiu a exigiam desenvoltura e coragem. J. V.: Por que é que a Maria tem medo criança se interesse por ler?
ideia da Coleção "Os Primos"? das aranhas?
J. V.: Por que é que os pais da Ana e da
Mafalda Moutinho: Tenho uma família Maria são embaixadores? Por que é M. M.: A Maria tem medo das aranhas
bastante grande e imensos primos. que decidiu que o embaixador seria tio tal como eu, é um ponto em comum
Quando pensei em escrever uma série do André? que tenho com a personagem. Eu
de livros para jovens lembrei-me que tentei representar-me na Maria.
uma das coisas com a qual quase toda
a gente se identifica são precisamente J. V.: A coleção "Os Primos" é um
os primos. sucesso. Porquê?
J. V.: Como descreve "Os Primos"? M. M.: A coleção Os Primos tem uma
série de elementos bastante originais
M. M.: Os Primos são três jovens que rapidamente agradaram aos
extremamente curiosos, que gostam jovens e também aos adultos que os
de viajar e de explorar novos lugares e acompanham ou seguem. Tem um
culturas. São miúdos muito modernos, carácter muito internacional e uma
usam imensa tecnologia, recorrem filosofia particular: para além dos
com frequência à Internet e têm gostos elementos de pura ficção, as histórias
e interesses contemporâneos. desfrutam ao mesmo tempo de de História, Geografia, Arte,
J. V.: A ação de cada livro passa-se Paleontologia e tantas outras ciências.
num país diferente. Gosta de viajar?
J. V.: Sempre quis ser escritora?
M. M.:Sim, adoro viajar, até porque o
fiz durante vários anos. Vivi cerca de M. M.: Não, nem sempre. Como todos
um ano em países e cidades os miúdos, houve alturas em que quis
(Londres, Paris, Milão, Cairo, Roma, ser bailarina, professora, advogada,
Madrid) e muitos destes locais M. M.: Tantas coisas. Começo por
acabaram por servir de cenário às dizer o que julgo que não se deve
aventuras dos Primos, que, como era fazer: tirar um livro das mãos de um
M. M.: Sendo eles embaixadores fica de esperar, também gostam imenso de jovem. Digo sempre aos pais e
mais fácil justificar as viagens que pelo viajar. familiares para nunca afastarem os
mundo vão fazendo os primos. Os miúdos dos livros quando vêem que
embaixadores viajam muito. Foi o eles estão muito interessados. E isto
único emprego que encontrei para pode acontecer em casa, na escola, na
justificar as numerosas viagens dos praia, ou numa feira do livro, quando
primos. O facto do embaixador ser tio pedem “aquele livro” que têm de
do André permite associar este às comprar absolutamente.
filhas do embaixador com quem pode
viajar. J. V.: Como acha que a leitura pode ser
i m p o r t a n t e p a r a o n o s s o
J. V.: De onde lhe surgiu a ideia de criar desenvolvimento?
o parentesco que criou para os três
protagonistas, Ana e Maria irmãs e M. M.: A leitura ajuda-nos a crescer,
primas do André? não só quando somos crianças, mas
durante toda a vida. A quantidade de
M. M.: Eu decidi que os três eram livros que lemos transparece nos
primos porque, quando eu era nossos olhos e sobretudo nas nossas
pequena, eu e os meus primos palavras porque é reflexo de cultura.
tínhamos muitas aventuras juntos. Através da leitura descobrimos lugares
A l é m d i s s o , s e n d o o s t r ê s e culturas diferentes com a ajuda da
personagens primos, conseguia imaginação.
explicar o viverem tantas aventuras
juntos. Toda a gente tem primos e isso detective, mas não escritora. Escritora J. V.: Obrigada! Somos suas fãs!
aproxima os leitores da história. era algo que sempre imaginei ser
quando fosse muito mais velha... E
- 6 -AGRUPAMENTO EM AÇÃO
contribuindo para o auto-conhecimento e o entre o mundo real e a ficção, pelo que a Técnico de Apoio
relacionamento interpessoal. integração e o amadurecimento da
O Teatro interpela a realidade, personalidade, avança um passo a cada Psicossocial
reconstruindo-a num ciclo dinâmico de experiência estética fornecida pelo
transformação entre o “Eu” e o mundo Teatro.
exterior. Como arte multidisciplinar, articula Podemos entender o Teatro como jogo,
O teatro é a poesia que sai do livro e se
e integra várias áreas do conhecimento, numa perspetiva lúdica, mas também
faz humana.
por exemplo, a Literatura, a História, a como atividade artística que permite
(Frederico Garcia Lorca)
Matemática, a Filosofia, a Arquitectura, as preparar as crianças para uma atitude
Artes Plásticas, a Dança e a Música. estética perante a vida, ou ainda como
“Num jogo dramático vive-se num mundo uma forma de libertação, não para que
“Encantamento, mistério, temor, magia,
diferente do nosso e usamos a nossa todos sejam artistas, mas para que
revelação, ritual, lágrimas, riso,
imaginação para representar algo através ninguém seja menos que o outro.
eis o que parece ser o resultado do
das nossas ações. (…) O termo ator deriva Romper com a rotina, desestruturar o que
primeiro
da palavra latina que significa «o que faz, o estava equilibrado é uma forma de
encontro das crianças com o Teatro.”
que representa». Os jogadores promover a criatividade possibilitando a
(Costa) Experiência cognitiva e corporal - estimular representam um papel no palco com ações construção do novo, a partir do trabalho em
as capacidades de senso-perceção; e situações planeadas e improvisadas, grupo fomentado pelo Teatro onde se
“(…) o professor tem que fomentar as promover a consciência corporal e o expressando-se através dos corpos e da propicia a discussão criadora. Isso foi
paixões intelectuais, relaxamento; desenvolver competências
linguagem.” (Rooyackers, 2003, pág. 15). possível:porque são o contrário da apatia d e o r g a n i z a ç ã o , o b s e r v a ç ã o e Respeitar as regras do jogo é aprender a Através dos Conteúdos: a apresentação e esterilizadora que se concentração; estimular a verbalização de respeitar as sociais; superar o integração do grupo; o conhecimento do refugia na rotina e que é o mais oposto ideias, sentimentos e opiniões; promover a desejo de as transgredir é aprender a fazer “eu” e a confiança em si; o que existe à cultura.” auto-estima e a autoconfiança; face às dificuldades, é auto-disciplinar-se. do “outro” e a aceitação das diferenças; a
(Savater, 1997) desenvolver as potencialidades criativas, Aprender a perder é preparar-se para socialização e os comportamentos; a
expressivas e emocionais.enfrentar as dificuldades da vida. descoberta do corpo; a expressão
Experiência social - promover o Indispensável ao desenvolvimento da corporal; a relação entre corpo e espaço; a
A Escola, espaço privilegiado de formação funcionamento em grupo, tendo em conta criança/jovem, o jogo também assume um expressão vocal; o domínio do corpo e da
e aprendizagem, surge como uma aspetos como, regras, coesão, papel importante noutras idades, voz; a sensibilização; a Improvisação, a
plataforma de desenvolvimento do cooperação, compreensão, valorização, constituindo um mediador entre o aprender imaginação e a criatividade; a expressão
potencial e das competências de cada partilha e solidariedade; desenvolver e o desenvolver competências pessoais e emocional; a análise e a criação do texto
indivíduo, na sua evolução pessoal e estratégias de resolução de problemas e sociais, entre o conhecimento (saber- dramático; o desenvolvimento da memória;
interpessoal. Neste sentido, o alargamento gestão de conflitos; fomentar o saber), a prática (saber-fazer) e as atitudes a interpretação e a representação.
da área de intervenção escolar do âmbito comportamento assertivo; desenvolver a (saber-ser e saber-estar). …e das Estratégias: jogos de
científico para a esfera sociocultural, c a p a c i d a d e d e c o n f r o n t a ç ã o e O corpo “é tempo e espaço, é apresentação; jogos de integração de
pretende cultivar no jovem o sentido de comparação mútua; incentivar a sensibilidade, é expressão, fala, grupo; jogos recreativos individuais e de
a u t o n o m i a , r e s p o n s a b i l i d a d e e assimilação dos sucessos e fracassos; linguagem, isto é, espaço expressivo, aquecimento físico; aquecimento
maturidade; condições essenciais na incentivar a desinibição – capacidade de se conjunto de significações que, ao serem vocal; jogos de sensações; jogos de
f o r m a ç ã o p a r a a c i d a d a n i a e , enfrentar a si mesmo e ao público.vividas durante a nossa deambulação mímica; jogos narrativos; jogos de sons; concretamente, no combate ao insucesso Experiência material - promover o existencial, passam a fazer parte do nosso jogos de adereços; jogos de máscaras; e abandono escolar. conhecimento e exploração do meio ser, da nossa bagagem cultural e histórica de fantoches; de sombras; É inerente à minha identidade como ambiente material; incentivar a criação e e que fazem do corpo uma memória que aquecimento ideológico e emocional; a
professor, dar uma atenção particular ao construção de artefactos e adereços úteis guarda, conta e faz histórias, porque respiração; o movimento e a mímica; jogos
desenvolvimento dos públicos, com na decoração pessoal e de espaços. vivencia e experiencia o ser e o estar no de improvisação; ensaios de motivação
destaque para o público jovem (preâmbulo Fizemos cruzamentos com o normal mundo…” (Labrocini, 2002, cit in Labrocini com texto; montagem de um trabalho
ao decreto-lei n.º 242/97, de 18 de funcionamento da escola, nomeadamente & Zottis, 2003, p.4). dramático; participações em encontros de
Setembro). ao nível do PAA (Plano Anual de Os novos desafios que se colocam ao nível expressão dramática e teatro ou
No âmbito dos conteúdos e atividades Atividades), Projeto Educativo e conteúdos da Educação em Portugal, que exigem festividades escolares.
d r a m á t i c o / t e a t r a i s i n s e r e - s e o específicos dos currículos das várias respostas múltiplas que a escola e a …tudo foi possível…
desenvolvimento de um programa disciplinas. Pautámo-nos sempre pelas 3 sociedade cívil terão de, em conjunto, Agradeço a todos os docentes que
curricular da Área da Expressão dimensões da Pedagogia do Teatro: encontrar num futuro próximo; a lecionaram as turmas do Técnico de Apoio
Dramática/Teatro destinadas a públicos Dimensão Pessoal e Social; Dimensão necessidade de criar um corpo de P s i c o s s o c i a l ( 1 1 º J / K ) e ,
específicos, nomeadamente escolares, do Criativa e Dimensão Artístico/Estética.conhecimentos e experiências, sobretudo fundamentalmente, aos alunos pelo seu
Agrupamento de Escolas de Seia A psicopedagogia moderna reconhece a no domínio artístico, cultural e teatral, que potencial criativo estimulado através de
Deste modo foi criado e desenvolvido um criatividade como um elemento fundamente alguns dos pressupostos que métodos e técnicas de desenvolvimento
trabalho sistemático com os alunos, das fundamental no desenvolvimento integral terão de reger essas alterações; a urgência dos fatores que integram o pensamento
turmas do 11ºJ/K nos diversos níveis das do ser humano e, ao mesmo tempo, um
de aprofundar, as cumplicidades de criativo. O potencial criativo é uma disciplinas. Esta prática criou novas caminho para a autorrealização de um eu atuação das diferentes instituições e característica de todo o ser humano, o seu necessidades com a urgência de alargar e autêntico, verdadeiro e original.organismos responsáveis pelas atividades desenvolvimento é que pode ser sistematizar uma intervenção do aluno A criatividade é por natureza e definição culturais e artísticas e o estabelecimento comprometido ou desenvolvido conforme para o próprio Aluno e do Aluno para e na contrária à rotina, repetitiva e monótona; é de pontes cada vez mais sólidas com todo as características de cada um e o tipo de
c o m u n i d a d e , p r o m o v e n d o u m radicalmente inconformista, porque o tecido Escolar, foram motivos suficientes estímulos a que se encontre sujeito.
estreitamento das relações do trabalho sempre existem outras alternativas e para que estas duas turmas do
artístico com algumas práticas formas melhores e inexploradas de pensar Psicossocial constituíssem um primeiro “A vida assemelha – se a um conto;
pedagógicas. e criar, de ensinar e aprender tempo de intervenção sistemática neste o que importa não é o seu tamanho, mas
A Expressão Dramática, atuando num As aulas de Área de Expressões não são domínio. o seu valor.”
contexto de interação extra-familiar, mais do que o sentido mais profundo da As Turmas do 11ºJ/K realizaram muitas Séneca
constitui uma ferramenta útil no criatividade…atividades na área das artes performativas,
desenvolvimento de competências Este processo está ligado tanto à Victor Fernando Abrantes de Sousacom especial incidência no Teatro.
c o g n i t i v a s e c o m p o r t a m e n t a i s , emotividade como à cognição e move-se Os nossos objetivos foram:
por fim, foram entregues os certificados a Sarau desportivo e
todos os participantes (praticantes,
árbitros, juízes e colaboradores) de todos cultural do Agrupamento
os grupos equipa de desporto escolar.
O São Pedro ameaçou, mas acabou por ser
“Um dia ousei,
“nosso amigo”, e quem esteve presente
fui experimentar,
teve a oportunidade de partilhar emoções e
quis participar.
de desfrutar de uma noite muito agradável.
Na minha escola o desporto escolar quis
O convívio, a amizade e a partilha
tentar,
começaram a partir das 19h, com comida,
e descobri coisas fantásticas!
bebida e palavras soltas, na barraquinha
Perdi medos,
dinamizada pelo grupo de encarregados de
enfrentei desafios,
educação do grupo equipa de desportos
aprendi, corrigi, melhorei e até me superei!” contemplar as coreografias de acrobática e expetativas iniciais, mas mais importante
de grupo do grupo equipa de desportos do que isso: os
Foi com estas palavras, escritas pela gímnicos, o zumba volei e as coreografias alunos “ousaram e
professora Teresa Pereira, ao som de de atividades rítmicas expressivas do grupo superaram-se”…
Mariza e com a coreografia de 3 ex- equipa da Escola Básica de Tourais- Para o próximo ano
ginastas do desporto escolar, que se Paranhos. Na componente artística fomos letivo o clube de
iniciou, na noite de 5 de junho de 2015, no presenteados com a declamação de um desporto escolar vai
Anfiteatro Municipal de Seia, o Sarau poema pela turma do 11ºE, com as notícias continuar a ajudar a
desportivo e cultural do Agrupamento de mais atuais do telerural e com as vozes de conquistar vitórias,
Escolas de Seia. vários alunos, que cantaram, tocaram e atingir limites perto
Com um cartaz muito diversificado e encantaram. do céu e concretizar
grandioso, que contou com a participação a De casa cheia, aproveitou-se a ocasião sonhos!
nível desportivo e artístico de vários alunos para distinguir os alunos do 12ºE do curso ESPERAMOS POR
do agrupamento, bem como de mensagens de artes, com a entrega de certificados de TI!gímnicos.
vídeo, enviadas por atletas de renome menção honrosa, pela sua participação no O desporto escolar continua vivo!
nacional, para os nossos alunos. Raquel Lopesconcurso “Imagens contra a corrupção” e, Os resultados obtidos superaram as
Na componente desportiva pudemos
- 7 -ATIVIDADES DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES
Sabores”. atividade destacou-se a colaboração A Biblioteca Escolar da
Em março, apelou-se à importância do dos professores Rui Póvoas e Maria
EB de Tourais/Paranhos Dia da Mulher e do Dia do Pai, Armanda Figueiredo, do funcionário
a p r e s e n t a n d o - s e h i s t ó r i a s e David Fidalgo e da aluna Filipa Alves.
Muito se tem feito dentro e fora do documentação pertinente sobre estas Maio foi o mês da “Mãe”, da “Família” e
comemorações. Neste mês, realizou- do “Coração”, na biblioteca. espaço físico das bibliotecas, para
se também a Semana da Leitura, sob o Contaram-se histórias, incentivou-se à proporcionar aos alunos mais saberes
e mais descontração. Desde tema “Palavras do Mundo”. Neste escrita de textos e ofereceram-se
funcionários a professores, todos têm acontecimento, a escola teve o prazer flores para as mães. Junho, o mês da
participado ativamente na promoção “criança” e das “férias”, foi
da leitura e da escrita com uma comemorado com muitos balões e
propostas de leitura para as tardes e panóplia de atividades bem ao gosto e
noites quentes de verão. Para finalizar, interesse dos alunos. Ora alimentando
algumas atividades já existentes, ora a biblioteca encerrou com excelência o saliento a exposição intitulada “Alanas
criando outras, a biblioteca de Tourais- ano letivo, dinamizando uma em viagem pelo mundo”, construída
Paranhos tem sido uma mais-valia na barraquinha na Feira da Alegria.com texturas diversas e promovida
escola. Um grande número de alunos Mas, o trabalhado levado a cabo pela pelos Jardins de Infância do
biblioteca não ficou por aqui, ou seja, recorre diariamente a este espaço Agrupamento. Ainda, nesta semana,
não se descurou o trabalho intrínseco para pesquisar, ler, conviver, relaxar, alguns encarregados de educação e
aconselhar-se, ou satisfazer outras à biblioteca. Neste sentido, resta dizer alunos participaram ativamente na
necessidades do momento. Assim, que por detrás da dinâmica acima leitura de histórias em várias salas de
promoveram-se mensalmente exposta, a biblioteca procedeu aula, enchendo de boa disposição
exposições alusivas a diversas igualmente ao apoio a alunos nas quem teve o privilégio de os escutar.
diferentes disciplinas, inventariou temáticas, acompanhadas de painéis No mês de abril, a biblioteca abriu as de receber a visita das escritoras
documentos, fez a autoavaliação do ilustrados pela funcionária D. Alzira portas à Liberdade, festejando o Dia Mafalda Moutinho, Alice Cardoso e
Tavares, onde se privilegiou o seu trabalho e auxiliou no Concurso 25 de Abril com poesias, canções de Ana Saldanha, as quais ficaram
incentivo à escrita, e desenvolveram- Nacional de Leitura. intervenção e mensagens escritas. surpreendidas com o trabalho
se as atividades “Livros, Filme e Todos os seus utentes foram ainda d e s e n v o l v i d o p e l o s A equipa da BE Poesia do Mês” e “Livros com presenteados com cravos. Nesta alunos/professores. Neste sentido,
Marques, Maria Pandorca, de António Hora do conto
Mota, Por favor, Leonor!, de
MarieLouise Gay, O Veado Florido, de
António Torrado, A Bruxinha Luna e a Semana após semana, a biblioteca
Palavra Mágica, de Alice Cardoso, O apresentou aos alunos do 1º Ciclo, da
Escola Básica de Tourais-Paranhos, Soldado João, de Luísa Ducla Soares,
Dr. Abranches Ferrão e Paranhos uma Atchuuu!, de Mij Kelly, O Meu Pai, de
Anthony Browne, O dia em que a
mamã ficou com cara de chaleira, de
Raquel Saiz, Quero a Minha Mãe, de
Tony Ross, O Médico do Mar, de Leo
Timmers, Estranhóides, de Eva
Montanari, Bia, a fada das bolachas,
história, tiveram oportunidade de de Tim Bugbird, A bruxa esbrenhuxa, incutir o gosto pela leitura e aguçar o relembrar o que ouviram, jogando no de Margarida Castel-Branco, Super-espírito criativo. Assim sendo, vários computador, ouvindo músicas Charlie, de Camilla Lackberg, Se eu livros saíram das prateleiras para adequadas à temática e dançando. fosse, de Richard Zimmeler O encantar os mais pequeninos, como,
Capuchinho Vermelho, de Charles por exemplo, o conto A Lenda do A equipaPerrault, e Ombela: a origem das Milagre das Rosas, de Gentil Marques, série de histórias, com o intuito de lhes chuvas, de Ondjaki. Após a audição da A Padeira de Aljubarrota, de Vanda
Ler com os mais velhos Concurso Nacional de
Leitura – fase distrital
“A verdadeira solidariedade começa
onde não se espera nada em troca.” No dia 22 de abril de 2015, os alunos
Antoine de Saint-Exupéry
do 3º ciclo e ensino secundário
romaram à cidade de Almeida, para
Esta é uma atividade que faz sentir bem, participarem na fase distrital da 9ª
quando praticada com a sublime edição do Concurso Nacional de
intenção de fazer soltar sorrisos e Leitura, em transporte cedido pelo
município.
O apuramento dos finalistas passou
por duas etapas: prova escrita, Repouso de Tourais, para encher o
constituída por questões de escolha coração dos mais velhos de emoções e
m ú l t i p l a e u m a p e r g u n t a sentimentos, por vezes esquecidos.
argumentativa sobre o conteúdo dos Assim, com um olhar misterioso e
livros selecionados, biografia e obra brilhante, assistiram embevecidos às
dos seus autores, e prova oral para os dramatizações de textos de índole
cinco finalistas da escrita de tradicional, nomeadamente “O
cada nível.espantalho enamorado”, de Guido
O Agrupamento esteve presente na Visconti, “O cordão dourado”, de Alice
prova oral com a aluna do ensino Vieira, “Hansel e Gretel”, “Pedro
O nosso Agrupamento fez-se secundário Maria Miguel Proença Malasartes”, de António Mota, “Maria
representar por nove alunos, seis do Machado, do 10º D. A Maria Miguel recordações felizes. Sensível a estes das Silvas”, de Alice Vieira, entre outros.
3º ciclo e três do ensino secundário. teve uma prestação brilhante e foi a preceitos, a Biblioteca Escolar, em E o retorno é sempre gratificante; ora um
As obras selecionadas, para esta selecionada pelo júri distrital para colaboração com o Professor Vítor ar de satisfação, ora um aceno de
fase, pela Biblioteca Municipal Maria representar o distrito da Gaurda na Sousa e alguns alunos do 11º ano, das gratulação, ora um simples silêncio
Natércia Ruivo, Almeida, foram “O fase nacional, a realizar no dia 1 de turmas J e K, do Curso Profissional de enternecido. gato malhado e a andorinha Sinhá”, julho, no auditório da Biblioteca Técnico de Apoio Psicossocial,
de Jorge Amado e “Um beijo no pé”, de Municipal Almeida Garrett, no Porto.A equipacontinuou a deslocar-se ao Centro de
Maria Teresa Maia Gonzalez, para o Parabéns a todos os participantes e Dia de Paranhos da Beira e à Casa de
3º ciclo, e “A vida no céu”, de José boa sorte para a Maria na fase
Eduardo Agualusa e “Crónica de uma nacional.Ler é sonhar pela mão de outrem. Ler mal e por alto é libertarmo-nos da mão que nos
morte anunciada”, de Gabriel García conduz. A superficialidade na erudição é o melhor modo de ler bem e ser profundo.
A equipaMárquez, para o ensino secundário.(Fernando Pessoa)
- 8 -ATIVIDADES DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES
SEMANA DA LEITURA NO AGRUPAMENTO
- 9 -AGRUPAMENTO EM AÇÃO
trabalhos realizados ao longo do ano Exposição de alunos
letivo nas disciplinas de Desenho A,
finalistas do CAV integra Oficina de Artes e Oficina de
Multimédia B. Esta exposição o programa do Artis 2015
decorrerá na galeria do Posto de
Turismo, entre 15 e 30 de junho.
Alunos do 9º Ano e do A organização do Artis propôs este ano
Secundário visitam exposições aos alunos do 12ºE a elaboração do
cartaz, tendo sido escolhida a proposta
de Andreia Santos. Os restantes Os alunos do 12ºE do Curso de Artes
cartazes propostos encontram-se Visuais participam ativamente no Artis
promovido e organizado pela Câmara XIII – Festival de Artes Plásticas de também expostos na Casa da Cultura.
Municipal de Seia em parceria com a Seia, com um trabalho coletivo na As turmas do Curso de Artes Visuais
Associação de Arte e Imagem de Seia (10ºF, 11ºF e 12ºE) e do 9º ano (turmas exposição principal e uma mostra de
e decorre tradicionalmente em maio e A, B e C) do Agrupamento visitaram as
j u n h o , e n g l o b a n d o v a r i a d a s várias exposições do Artis XIII, em
expressões e manifestações maio e início de junho. Para além da
artísticas. Este ano, os artistas exposição coletiva de artes plásticas,
homenageados foram o senense Júlio no salão e galerias da Casa da Cultura,
Vaz Saraiva (n. Seia, 1928) e o artista pode ser visitada uma exposição
britânico Geoff Kilpatrick, que residiu coletiva de fotografia no foyer do da Misericórdia de Seia, onde os alguns anos em Pinhanços e faleceu cineteatro e uma exposição alunos puderam apreciar uma no início deste ano na Irlanda, após retrospetiva de Júlio Vaz Saraiva na interessante coleção de arte sacra, doença prolongada.galeria do Posto de Turismo. assim como a exposição de fotografia
Na visita do 10ºF foi ainda incluída uma de Pedro Ribeiro, “Natureza Mágica”. Sérgio Reis
visita guiada ao Museu da Santa Casa O Festival de Artes Plásticas de Seia é
destacar a inutilidade do crime, que Multimédia B. Vídeo do 12ºE distinguido
acaba por ter sempre um castigo – A entrega oficial dos prémios teve lugar
em concurso nacional pode seguindo a perspetiva moralista do em Lisboa, no dia 13 de maio e os
ser visto no site das Padre António Vieira, cujos sermões diplomas foram entregues aos alunos
são estudados pelos alunos no 11º do 12ºE presentes no Sarau Nações Unidas
ano, na disciplina de Português. Desportivo e Cultural, realizado a 5 de
A ideia do título surgiu de uma citaçã, junho no Parque Municipal de Seia.
O vídeo “Corrupção, um crime sem de Joel Birman (“A corrupção é um Todos os vídeos distinguidos (prémios
rosto” foi distinguido com uma Menção crime sem rosto.”) e ajudou a decidir o e menções honrosas) serão colocados
Honrosa no Concurso Nacional de tipo de narrativa visual, a sequência e na página oficial das Nações Unidas. O
Videos “Imagens Contra a Corrupção”, os planos, assim como a garantir que vídeo pode ser visto na página ArtES,
promovido pelo Conselho de todos os alunos da turma participariam com hiperligação disponível na página
Prevenção da Corrupção, em parceria outras entidades e empresas. no vídeo, filmados ou filmando. A do Agrupamento de Escolas de Seia.
com o Ministério da Educação e O projeto do 12ºE centrou-se na produção foi, assim, um trabalho
Ciência, Ler+ - Plano Nacional de expressão mais corrente de coletivo, de aplicação dos conteúdos Sérgio Reis
Leitura e Antena 1 – Grupo RTP, entre corrupção, o suborno, e pretendeu tratados na disciplina de Oficina de
Semana das Artes 2015 afirma-se no contexto cultural da cidade de Seia
A Semana das Artes 2015 teve lugar de encarregados de educação, que Curso de Artes Visuais produzidos em contexto escolar, para além do
visitaram as exposições e, este ano, a contacto com os artistas senenses,
Santa Casa da Misericórdia de Seia que promovem anualmente em Seia o
associou-se a esta celebração das Artis – Festival de Artes Plásticas, a
a r t e s e m c o n t e x t o e s c o l a r Semana das Artes do Agrupamento de
proporcionando a um grupo de utentes Escolas de Seia afirma-se cada vez
do Lar uma visita à exposição de arte. mais como um acontecimento cultural
Organizado em parceria com a de relevância na cidade de Seia e, de
Biblioteca Escolar, o evento centra-se resto, o relatório da avaliação externa,
na Exposição de Arte, que se realiza realizada pela IGEC, aponta como um
desde 1998, completada com outras dos pontos fortes do Agrupamento o
iniciativas de índole artística. “desenvolvimento da dimensão
Os visitantes foram recebidos e artística sustentada num conjunto pelos alunos do 12ºE e participar nos 20 a 24 de abril na escola sede do
encontros com artistas. Agrupamento de Escolas de Seia,
O fotógrafo Pedro Ribeiro e a escultora mobilizando a atenção da comunidade
Virgínia Pinto participaram este ano e dos meios culturais senenses para
nos encontros com os artistas, as artes em contexto escolar,
apresentando e comentando algumas confirmando a qualidade do ensino
das suas obras e respondendo a artístico na Escola Secundária de Seia
perguntas dos alunos. Pedro Ribeiro é e o bom nível alcançado pelos alunos
um jovem artista e fotógrafo premiado, do Curso de Artes Visuais.
Mestre em Design Gráfico. Virgínia O conjunto das atividades mobilizou
Pinto é uma artista senense com
assinalável sucesso na área da
escultura, com exposições em Seia,
acompanhados pelos alunos finalistas Lisboa, Barcelona e Milão, autora de
do Curso de Artes Visuais, turma 12ºE, interessantes peças combinando
que prestaram os esclarecimentos
necessários para a compreensão das
obras que eles próprios realizaram,
diversificado de atividades e iniciativas assim como dos trabalhos realizados
com impacto na formação dos alunos pelos colegas de curso do 10ºF e 11ºF,
neste domínio” (…), “ao mesmo tempo que também se encontravam
que ajudam a promover a imagem do expostos.
Agrupamento junto da comunidade”.Os visitantes mais pequenos, alunos
Uma seleção de trabalhos dos alunos de cinco turmas do Centro Escolar de
finalistas do Curso de Artes Visuais Seia, participaram na oficina do conto,
será mostrada na Galeria do Posto de com leitura e ilustração de uma história largas centenas de alunos, do
Turismo de Seia, entre 15 e 30 de infantil, assim como nas oficinas de Agrupamento de Escolas de Seia, diferentes materiais. Esta participação junho, numa exposição integrada no modelação e origamis.Agrupamento de Escolas Guilherme foi garantida em articulação com a Artis XIII.No auditório da Escola Secundária, os Correia de Carvalho e Centro Escolar Associação de Arte e Imagem de Seia.alunos visitantes do 3º Ciclo puderam de Seia. Verificou-se ainda o Sérgio ReisCom um largo historial de dinamização assistir a dois filmes de divulgação do importante envolvimento de pais e e articulação interdisciplinar das artes
- 10 -

  • Accueil Accueil
  • Univers Univers
  • Ebooks Ebooks
  • Livres audio Livres audio
  • Presse Presse
  • BD BD
  • Documents Documents